Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 4 de agosto de 2016

    ELEIÇÕES 2016| Marquinhos vira candidato e diz que prefeitura é missão construída em 21 anos

    Divulgação

    Na presença de cerca de duas mil pessoas, o deputado estadual Marquinhos Trad foi oficializado, nesta quinta-feira (4), candidato a prefeito de Campo Grande pelo PSD (Partido Social Democrático). Em noite de festa, ele entrou pela porta da frente, cumprimentando o público e subiu ao palco com a esposa, filhos, e a candidata a vice na chapa, Adriane Lopes, oficializada pelo PEN (Partido Ecológico Nacional). 

    “É mais do que emoção. É o pulsar forte do coração. É um sonho. Uma missão. É um momento que há muitos e muitos anos venho me preparando e que neste instante Deus está fazendo caminhar”, iniciou.
    Divulgação

    Marquinhos também agradeceu a família pela paciência e a todos os que estão com ele há mais de 21 anos, quando começou na vida pública. “Quero agradecer imensamente a minha família, você Tatiana, minha esposa, minhas filhas, Andressa, Aline, Mariana e Alice. Que me perdoem a ausência dentro de casa, mas é por motivo justo: trabalhar por vocês, por Campo Grande. Trabalhar com honestidade, com eficiência”, agradeceu.

    Marquinhos também saudou os presidentes de partidos presentes, ressaltando o diálogo feito com cada um que aceitou apoiá-lo na campanha. “Não conjugamos o verbo negociar e a palavra barganhar. Não tem o toma-lá-dá-cá. Tivemos momentos de respeito, construção de cidadania. De respeito a cada um de vocês”, pontuou.

    O agora candidato ressaltou que se preparou para este momento por 21 anos, se capacitando, estudando e se qualificando para oferecer um serviço para atingir desde o que está no ventre da mãe e tem direito ao pré-natal, até o que aguarda vaga em corredor de hospital público.
    Divulgação

    “Foram oito anos de secretário municipal. Na época, o gestor de Campo Grande me entregou uma secretaria com objetivo de desfavelar Campo Grande. Eram 121 núcleos de moradias subumanas. Após sete anos e seis meses, eu entreguei os trabalhos com a primeira capital do Brasil sem favelas. Nós erradicamos todos os núcleos, dando condição digna de moradia para aqueles que viviam debaixo de uma lona. Saí do Executivo, fui pra o Legislativo. Fiquei dois anos como vereador e vocês me fizeram o mais bem votado. Concorri a deputado estadual e vocês, com a força de Deus, me fizeram o deputado mais bem votado de Campo Grande. Foram quatro eleições e as quatro Deus me honrou com ajuda de vocês em primeiro lugar nas eleições aqui na Capital”, agradeceu.
    Divulgação

    O deputado salientou que foram 13 anos de Legislativo e oito anos de Executivo, se preparando para agora colocar o nome à disposição e reorganizar a cidade que escolheu para viver, que se criou, educou os filhos e onde o pai, ex-deputado Nelson Trad, está enterrado.

    “É possível sim fazer uma política sem mentir para vocês. É possível sim fazer uma política sem falsear com palavra, sem tergiversar com o próximo. Nós podemos e nós faremos. Eu conheço Campo Grande não de avião, não de helicóptero. Conheço Campo Grande porque você é testemunha que meus mandatos nunca foram de gabinete. Sempre andei dentro de Campo Grande. Não preciso de GPS no meu carro. Eu conheço as sete regiões, a dificuldade da dona de casa, o dia a dia do trabalhador. Sei sentir o choro de uma criança que não tem comida em um Ceinf. A gente sabe reconhecer a dificuldade de uma mãe e uma avó quando tem que aguardar uma carta de um político para conseguir vaga em um Ceinf. Vai acabar isso em Campo Grande. Precisamos de igualdade, justiça social, inclusão”, garantiu.
    Divulgação

    Marquinhos também falou da dificuldade das pessoas para conseguir uma casa própria e da facilidade que outras encontram, via política, o que afirmou colocar fim. “Não é justo que pessoas fiquem aguardando 20 anos para serem sorteadas em casa popular, enquanto alguns, com menos de um mês de inscrição, ganham casa. Não é justo”, criticou.

    O candidato a prefeito pelo PSD também quer organizar a saúde pública, mas sem promessas enganosas. Ele pretende dar estrutura aos postos de saúde para priorizar a prevenção. “Não vamos atacar a doença e não o doente. Vamos fazer política de saúde e não vamos fazer política na Saúde” disse.

    Marquinhos ainda deixou claro que, se eleito, continuará andando pela cidade e olhando no olho das pessoas. “Sou assim e não mudo meu jeito de ser. Sou assim porque gosto de olhar nos olhos das pessoas e dizer para elas que posso até não ter talento, mas não faltará dedicação, honra, abnegação, trabalho, muito trabalho para mostrar a vocês que sempre acreditaram na gente que a boa política se faz com gestos, ações e menos palavras”, declarou.
    Divulgação

    Marquinhos encerrou o discurso convocando todos os presentes para ir às ruas. “Essa é nossa vez, nosso momento. Temos ideias e projetos. Nossa equipe é competente, técnica. Não vamos falar mal de ninguém porque não terá firmeza nesta terra os homens de língua afiada. Temos coração. Vamos para ruas com coração. Não temos ouro ou prata, mas temos sapatos para andar por toda Campo Grande e dizer para eles que somos capazes de vencer. Que Deus nos abençoe. Muito obrigado e vamos juntos para vitória”, finalizou.

    Candidata a vice-prefeita, Adriane agradeceu a oportunidade, que considera ímpar na vida dela e falou do desafio de ajudar Marquinhos a administrar Campo Grande. “Não sou política, minha missão é servir”, frisou. “Tenho trabalho social. Estou preparada para estar caminhando junto com o Marquinhos. Acredito que vamos juntos mudar a história. Voltar a ter orgulho desta cidade. Confio neste projeto. Estamos juntos para vencer, com muito trabalho”, completou.

    Perfil

    Marquinhos Trad está no terceiro mandato de deputado estadual. Antes, foi secretário municipal de Assuntos Fundiários. Em oito anos de trabalho na pasta, ele regularizou vários núcleos de favelas e participou de iniciativas para reduzir drasticamente os índices de habitações sub-humanas e de condições de vida insalubridade. “Conseguimos naquela época a regularização de quase 117 núcleos de favelas na nossa cidade”, destacou.

    Em 2004, disputou a primeira eleição e tornou-se vereador por Campo Grande. Nas quatro disputas eleitorais, saiu das urnas como o campeão de votos na Capital. Sua vice, Adriane é bacharel em Direito, graduada em administração pública e especialista em gerência de cidades. 

    Além da chapa majoritária, o PSD oficializou os candidatos a vereador e confirmou aliança com PTB, PMN, PEN, PTdoB e PHS. Nesta sexta-feira (5), a expectativa é ganhar ainda o apoio do DEM e do PRP.
    Divulgação



    Fonte: ASSECOM

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS