Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    07/02/2019

    Câncer: diagnóstico precoce possibilita maior chance de cura

    O diretor clínico do Hospital Unimed Campo Grande explana sobre o tema, suas formas de prevenção e evolução dos tratamentos

    ©DIVULGAÇÃO
    Na última segunda-feira (04/02) foi comemorado o Dia Mundial do Câncer, data criada com o objetivo de conscientizar a população sobre a doença que mata 8,3 milhões de pessoas no mundo, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). 

    Tendo em vista essa estatística tão alarmante, a Unimed Campo Grande convidou o diretor clínico do seu Hospital e médico oncologista, Dr. Cezar Augusto Galhardo, para elucidar sobre o tema, suas formas de prevenção e evolução dos tratamentos. 

    O doutor explica que com o envelhecimento da população e o avanço da medicina no tratamento das patologias, é natural que a população apresente uma maior incidência de doenças, porém muitos desses episódios acontecem por escolhas erradas no estilo de vida. 

    “Muitos dos casos de adultos jovens (na faixa de 40-50 anos) que hoje estão sendo acometidos por câncer passaram por uma época onde o consumo de tabaco era elegante, um status social e seus malefícios eram pouco conhecidos e divulgados. Hoje estamos pagando o preço de tal hábito”, diz. 

    O médico destaca que “inicialmente os tumores não apresentam nenhum sinal clínico. Por isso é tão importante àquilo que chamamos de rastreamento, que é a realização de exame (por exemplo, mamografia, preventivo e colonoscopia) em uma determinada população assintomática. Chamamos o câncer de doença silenciosa, pois acaba por dar sintomas quando já está em estágios mais avançados e quando temos menor chance de cura”. 

    Ainda hoje, a falta de informação impede que os exames preventivos tenham o alcance necessário para livrar a maioria dos casos. Por esse motivo foram criadas as campanhas como, outubro rosa, novembro azul, entre outras, que tem o objetivo de alertar a população sobre os fatores de riscos e também incentivar um diagnóstico precoce. 

    Conforme o oncologista, cada câncer possui seus próprios sintomas. Entretanto, em todos os casos, o câncer pode ser evitado quando se mantém uma alimentação saudável, com alimentos variados e livres de agrotóxicos, atividades físicas regulares e também o não consumo de álcool e tabaco. 

    De todos os efeitos colaterais que essa doença pode gerar, a depressão e a falta de confiança na melhora é sim um percalço pelo caminho. “A cura depende muito deles, para seguir os tratamentos adequados, recomendações médicas e se esforçar em se alimentar. Os pacientes que levam o tratamento com melhor expectativa, mais leves e confiantes, tendem a ter melhores resultados”, destacou Dr. Cezar. 

    Mas o doutor ainda tranquiliza dizendo que nenhuma área da medicina evoluiu tanto em seus tratamentos e diagnósticos quanto a oncologia, o que garante menos efeitos colaterais e melhores resultados. “Importante colocarmos na cabeça que os principais fatores que contribuem para a cura são: o diagnóstico em estágio inicial e ser tratado de maneira correta.”

    ASSECOM/UNIMED


    Imprimir