Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    05/12/2018

    BATAGUASSU| Exposição retrata história do fundador do município “Jan Antonin Bata”

    Período de visitação da mostra prossegue até dia 6 de dezembro, em horário comercial

    ©DIVULGAÇÃO
    Bataguassu está sendo presenteada durante as comemorações dos 65 anos de emancipação política e administrativa do município com a exposição “Endereço Bata Zlín” - 120 anos de Jan Antonin Bata. A iniciativa é do Consulado Geral da República Tcheca em São Paulo, Consulado Honorário em Batayporã e Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec) e Centro Cultural.
    ©DIVULGAÇÃO
    Na abertura do evento, ocorrida na segunda-feira, dia 3 de dezembro, no Centro de Eventos João Leme, a titular da pasta, Regina Duarte de Barros Dovale comentou que não haveria melhor forma de se realizar a abertura das festividades do aniversário do município sem que fosse com uma exposição que retrata sobre a fundação de Bataguassu.

    Regina destacou que desde 2006, a Prefeitura, através da Semec, por meio do Núcleo Municipal de Cultura, vem desenvolvendo o projeto “Bataguassu Nossa Terra, Nossa História e Nossa Gente” e prossegue em andamento com a implantação do Museu Histórico. “Temos tido a oportunidade de ter um crescimento cultural e pessoal com os preparativos para a abertura do nosso museu. A exposição só tem a somar com a nossa vivência”, disse.

    A consulesa geral da República Tcheca em São Paulo, Pávla Havrlíková salientou a emoção de poder estar em um dos municípios fundados por Jan Antonin Bata e de poder contribuir com o resgate da história do município. “Através do esforço coletivo especialmente em unir os três municípios irmãos fundados por Bata (Batayporã, Bataguassu e Batatuba, em Piracaia) estamos conhecendo um pouco mais das nossas origens e dessa importante história que une também os países Brasil e antiga Tchecoslovaquia. Espero que todos apreciam a exposição”, citou ela.

    Após as falas, houve a exibição do documentário “Passos Tchecos”, produzido pela Televisão Tcheca. Antes, a Cia Dançarte promoveu uma dança theca em homenagem aos visitantes. Houve ainda a apresentação da Banda Musical “Ambrosio Lemes” responsável por entoar os hinos do Brasil e da República Tcheca.

    Prestigiaram o evento, o vereador Dennis Thomazini (PTB), Dário Trachta, representando o consulado Honorário da República Tcheca em Mato Grosso do Sul, os secretários municipais de Assistência Social, Ana Nelly Castelo Branco Sanches; de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Nilo José Perlin; de Administração e Fazenda, José Carlos Zanardo e de Esportes e Lazer, Fábio Eduardo da Silva além de familiares de pioneiros tchecos e estudantes locais.

    EXPOSIÇÃO

    Os 12 painéis expostos no Centro de Eventos retratam a vida e obra de Jan Antonin Bata desde a fundação da fábrica de sapatos Bata por familiares do fundador nos anos 1930. Os registros mesclam um pouco da história da antiga Tchecoslovaquia – atual República Tcheca, país que após a II Guerra Mundial tornou-se um satélite da União Soviética sob um regime comunista.

    A exposição “Endereço Bata Zlín” permanece aberta para visitação até o dia 6 de dezembro, quinta-feira, das 8 às 12 horas; das 14 às 17 horas e das 19h30 às 22h30 (horário Brasília), Centro de Eventos João Leme localizado na rua Ponta Porã, 173. A entrada é gratuita.

    HISTÓRIA

    Constam nos registros históricos que em 1932, Arthur Diederichen vendeu a Companhia de Viação São Paulo Mato Grosso (incluindo terras, embarcações, pousos de boiadas, armazéns, fazendas e direitos), a Jan Antonin Bata.

    ‌Bata nasceu na antiga Checoslováquia onde era denominado “O Rei dos Calçados”. Naquele país foi um grande industrial. Seu pai era o fundador das Indústrias Bata e ele deu continuidade aos empreendimentos do pai, ampliando suas fábricas em cinco continentes.

    Culto e viajado, dominava sete idiomas e foi perseguido pelos seguidores de Adolf Hitler, quando se exilou nos Estados Unidos e veio para o Brasil, em 1941.

    ‌Na época, Bata já havia instalado uma indústria de calçados em Batatuba, São Paulo, primeira cidade que fundou no Brasil.

    ‌Em 1942, Jan Antonin Bata decidiu criar uma cidade nas terras que adquiriu de Diederichen, no espigão divisor das águas dos Córregos Guassu e Sapé não muito distante do rio Pardo e escolheu o local onde seria edificada Bataguassu.

    ‍Além de planejar o loteamento urbano da cidade, fez loteamento rural, construiu as primeiras casas destinadas a seus funcionários, armazém e um pequeno templo católico. Montou uma serraria cuja caldeira fornecia energia elétrica, uma cerâmica, uma leiteria e mais tarde uma granja.

    ‌Em Bataguassu, o busto de Jan Antonin Bata está instalado na praça que recebe seu nome [Jan Antonin Bata] popular praça da Matriz/praça do Peixe. A ponte do rio Pardo também leva o nome do fundador do município.





    ASSECOM


    Imprimir