Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    20/11/2018

    DOURADOS| Com 13 servidores por vereador, Câmara instala ponto eletrônico

    Biometria passa a controlar a partir de amanhã horário de trabalho de 261 servidores da Câmara de Vereadores de Dourados

    Servidores da Câmara cadastram biometria no ponto eletrônico que começa a funcionar amanhã ©Thiago Morais/Divulgação
    Servidores efetivos e comissionados, aqueles contratados por indicação política sem concurso público, terão o horário de trabalho controlado por sistema de ponto eletrônico com biometria na Câmara de Vereadores de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande.

    Anunciada pela presidente da Casa Daniela Hall (PSD) para “dar mais credibilidade e transparência” às atividades do Legislativo, a medida começa a valer amanhã (21). Hoje, os servidores estão cadastrando as impressões digitais no equipamento.

    O ponto eletrônico com biometria vai substituir a folha de ponto assinada todos os meses pelos servidores e sempre motivo de muita discussão por facilitar que funcionários assinassem o ponto sem efetivamente cumprir o horário de trabalho.

    Com 19 vereadores, a Câmara da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul tem 264 servidores, segundo o portal da transparência. São 61 efetivos, quatro convocados e 200 comissionados (contratados sem concurso público).

    Levando em conta o total de servidores, dá uma média de 13 funcionários por vereador. A Câmara de Dourados gasta em média meio milhão de reais só com salários de servidores e outros R$ 130 mil com salário dos vereadores.

    Controle 

    De acordo com a assessoria da Câmara, o objetivo é controlar a frequência e pontualidade dos servidores com mais rigor. O sistema de registro eletrônico biométrico de ponto vai funcionar em caráter experimental de amanhã até o dia 30.

    Os servidores terão de identificar a chegada e saída no relógio de ponto, habilitado para funcionar apenas pelo sistema de biometria.

    “O aparelho Control ID proporciona três tipos de identificação: cartão, senha e biometria. Escolhemos o último por não permitir nenhuma forma de burlar o sistema”, disse Daniela Hall. O equipamento é gerenciado pela empresa Gênesis Controle e Tecnologia.

    Fonte: campograndenews
    por: Helio de Freitas, de Dourados


    Imprimir