Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    20/10/2018

    WhatsApp: PSL diz que pedirá à PGR investigação sobre ações de empresas

    Procuradora-geral a República, Raquel Dodge, porém, já pediu à Polícia Federal que abra inquérito para apurar o caso

    ©DR
    O PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, afirmou que vai pedir à PGR (Procuradoria-Geral da República) que apure reportagem publicada pela Folha de S.Paulo na quinta-feira (18) sobre atuação de empresas no WhatsApp na corrida eleitoral.

    "Nós estamos entrando com um pedido na Procuradoria-Geral da República para que a matéria especificamente feita pela Folha de S.Paulo seja apurada até o último momento, de forma conclusiva, porque o PT tem a mania de acusar os outros daquilo que ele faz. Então estamos absolutamente tranquilos", disse Gustavo Bebianno, presidente do PSL.

    A procuradora-geral a República, Raquel Dodge, porém, já pediu à Polícia Federal que abra inquérito para apurar o caso.

    A Folha de S.Paulo revelou que empresas estão comprando pacote de disparo em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp. A prática é ilegal.

    Nesta sexta (19), o aplicativo de mensagens baniu contas associadas a quatro agências e enviou notificação extrajudicial para que elas parem de enviar textos em massa e utilizar números obtidos a partir de base de dados de terceiros, o que também é ilegal.

    O WhatsApp ainda anunciou ter banido cerca de 100 mil usuários no Brasil nesta semana para conter desinformação, spam e notícias falsas. 

    NAOM-Com informações da Folhapress.


    Imprimir