Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    19/10/2018

    Senar/MS reúne mais de 200 pessoas em Dia de Campo do Hortifrúti Legal

    ©Divulgação
    Mais de 200 pessoas participaram, nessa sexta-feira (19), do Dia de Campo Hortifrúti Legal. A iniciativa do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e do Sindicato Rural de Campo Grande abordou temas como: sustentabilidade, irrigação, proteção do solo, na Estância Chiquito, propriedade modelo na Capital que recebe a consultoria da Assistência Técnica e Gerencial. A abertura do evento foi feita pelo coordenador da Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, Francisco Paredes e pelo presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Ruy Fachini Filho.

    Na segunda e última edição do Dia de Campo do Hortifrúti Legal de 2018 participaram caravanas dos municípios de Dourados, Sidrolândia, Dois Irmãos do Buriti, Rochedo, Jaraguari, Pedro Gomes, Rio Negro e Coxim.

    Para o coordenador do programa Hortifrúti Legal, Dorly Scariot Pavei, a iniciativa agrega conhecimentos que podem ser aplicados na prática. “As tecnologias apresentadas no evento são propostas levadas para os produtores rurais que recebem a consultoria do Senar/MS. Esse evento possibilita o intercâmbio entre horticultores, acadêmicos, profissionais da área, que tiram dúvidas e contas suas experiências durante a passagem nas estações”

    A adubação verde, técnica que utiliza culturas como Milheto, Braquiária e Feijão de Porco, para proteger o solo, foi um dos temas abordados no Dia de Campo. “O método é utilizado como cobertura do solo auxiliando também na diminuição de plantadas invasoras. Conseguimos manter a umidade e temperatura ideias, principalmente em solos arenosos que exigem mais cuidado. A ferramenta otimiza a irrigação”, explica o técnico de campo do Senar/MS, Hugo Wosniak.

    A produtora rural, Rosimeire Canhete Marques, tem horta no município de Bandeirantes. Há quatro meses, ela recebe a visita da equipe de Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS e o foco é reduzir custos e ampliar a produção. Por isso, sempre que pode, participa das ações promovidas pela instituição. “Com as informações que vi hoje, vou melhorar a irrigação, utilizar compostagem na terra e fazer o controle biológico das culturas de jiló, vagem, abobrinha e brócolis”, afirma.

    A busca por novidades foi o que motivou o produtor, Rogério Canhete, de Dois Irmãos do Buriti, a participar da atividade. “Já aprendi formas de fazer correção do solo, prevenção de fungos. Mas conversando com os outros participantes pude trocar ideias e conhecer diferentes realidades”, comenta.

    Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul 
    Por: Ellen Albuquerque


    Imprimir