Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    15/10/2018

    Em entrevista, Odilon promete escola de tempo integral diferenciada e nega proposta de emancipar todos os distritos

    Candidato ao governo do estado foi entrevistado pela TV Morena nesta segunda-feira (15).

    Juiz Odilon (PDT) foi entrevistado pela jornalista Lucimar Lescano no MS2 desta segunda-feira (15) — Foto: Anderson Viegas/G1 MS
    O candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, Juiz Odilon (PDT), afirmou durante entrevista ao MS2 desta segunda-feira (15) que, se eleito, vai implantar um projeto de escolas de tempo integral diferenciadas no estado. Odilon também negou que seu plano de governo prevê a emancipação de todos os 85 distritos do estado.

    O candidato participou da primeira entrevista feita pela TV Morena com os concorrentes ao governo estadual neste segundo turno. Assista no vídeo acima. As entrevistas prosseguem nesta terça-feira (16), com a sabatina a Reinaldo Azambuja (PSDB).

    Sobre educação, Odilon disse que pretende, se for eleito, implantar um projeto de escola de tempo integral que assegure formação educacional, cultura, esporte, lazer e alimentação aos alunos, possibilitando a retirada de crianças e adolescentes das ruas.

    “O primeiro ponto é a escola de tempo integral. Isso tem algumas finalidades. A primeira é retirar a criança e o adolescente das ruas. Nas ruas estão as drogas, está a violência.[…] Escola de tempo integral existe aqui em Mato Grosso do Sul só no papel. […] Tem de ter logicamente uma adaptação física da escola e tem que ter também uma adaptação pedagógica da escola. […] Tem que ter esporte, tem que ter lazer, tem que ter cultura. Coisas que atraiam as pessoas e a formação da pessoa será diferenciada. [...]Tem de ter alimentação. À tarde um reforço escolar e evidentemente que a própria formação será muito melhor”, defendeu.

    O candidato foi questionado pela jornalista Lucimar Lescano se pretende, conforme prevê seu plano de governo, emancipar todos os 85 distritos de Mato Grosso do Sul. Odilon negou e disse que a emancipação prevista é apenas para aqueles distritos que tenham infraestrutura mínima para se tornarem municípios.

    Na verdade, nunca houve afirmação da minha parte no sentido de emancipar esses 85 distritos. Isso aí seria evidentemente até um projeto fantasioso, mentiroso. [...]No meu projeto, no meu plano está previsto a emancipação daqueles distritos que preencherem os requisitos legais: habitação, renda, etc. [...]Não tenho ideia [de quantos seriam]. [...]Tenho ideia de alguns municípios que preencham os requisitos legais. Temos que fazer um levantamento completo. [...]Mas o nosso projeto, o nosso plano não engloba a totalidade dos distritos”.

    Por G1 MS


    Imprimir