Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/10/2018

    Com maior bancada, PSDB precisa de aliados para ficar com presidência

    Eleição da mesa diretora da Assembleia será feita em fevereiro, pela nova legislatura

    Deputados Paulo Corrêa (PSDB) e Rinaldo Modesto (PSDB), durante sessão ©Victor Chileno/ALMS
    Apesar de contar com a maior bancada da Assembleia, com cinco deputados ano que vem, os tucanos vão precisar formar um bloco de aliados, para ficarem com a presidência do legislativo, já que a composição política para 2019 está bem mais “fragmentada”, tendo 12 partidos com representantes na Casa de Leis.

    Da bancada tucana, alguns deputados já disseram que têm interesse em ficar com o comando da Assembleia, entre eles Felipe Orro (PSDB), Onevan de Matos (PSDB) e Rinaldo Modesto (PSDB). Sem se manifestar oficialmente, o nome de Paulo Corrêa (PSDB) também é citado.

    Fora do núcleo tucano, deputados de outros partidos também se colocaram à disposição, como Zé Teixeira (DEM), Eduardo Rocha (MDB) e José Carlos Barbosa (DEM). Os parlamentares admitem que esta articulação começa após o segundo turno, até porque o “governador eleito” tem papel fundamental nesta disputa.

    Para Renato Câmara (MDB) o PSDB é “favorito” para ficar com a presidência, por dispor da maior bancada, mas ponderou que isto depende dos “blocos partidários” a serem formados para esta eleição. "Deve se formar grupos para se buscar os espaços políticos".

    Aliados 

    Lídio Lopes (Patri) atribui esta “escolha” à coligação que elegeu mais parlamentares, no caso o grupo de 16 deputados, que apoiaram o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “Será uma questão de ajustar o grupo e estar todos do mesmo lado, pois são necessários 13 votos, para definir o presidente”, disse Lídio.

    Rinaldo Modesto (PSDB) reconheceu que se trata de “outra eleição” e que apesar de ter mais representantes, o PSDB vai precisar se “agrupar” e trazer aliados. “Também tem que avaliar o deputado que tem o perfil para o cargo”.

    Felipe Orro (PSDB), que declarou interesse na disputa, disse que além da bancada, a formação de parcerias com outros partidos é importante. “Quem construir mais aliados, leva a vitória”. A eleição da mesa diretora ocorre em fevereiro, assim que iniciar a nova legislatura, que vai contar com 13 deputados reeleitos, oito novatos e três parlamentares que retornam ao legislativo.

    Fonte: campograndenews
    Por: Leonardo Rocha


    Imprimir