Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    14/09/2018

    Responsabilidade e transparência marcam gestão Reinaldo Azambuja em MS

    Candidato à reeleição, governador falou sobre a administração estadual em entrevista à imprensa nesta sexta-feira (14)

    ©Divulgação
    A gestão do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) à frente do Governo do Estado é reconhecida pela responsabilidade e transparência. O trabalho desenvolvido entre os anos de 2015 e 2018 foi fundamental para que Mato Grosso do Sul atravessasse a pior crise econômica do Brasil investindo em políticas públicas, fazendo obras e mantendo as contas equilibradas.

    “Passamos pelo pior momento da história de nosso País e mantemos nosso Estado em pé. O Brasil tem 27 estados e 20 deles não dão conta nem pagar a folha do funcionalismo. Nesse cenário eu pergunto: será que Mato Grosso do Sul é uma ilha? Porque aqui as contas estão em dia, com investimentos nas áreas de saúde, educação, segurança pública e desenvolvimento? Simples: porque fizemos um governo responsável, aprovamos leis e medidas consideradas impopulares. Fizemos reformas da previdência, tributária e administrativa. Gastamos menos com o governo para investir mais nas pessoas. Tudo pensando no futuro, no Mato Grosso do Sul daqui a 30 anos, para continuarmos a ser um estado que honra seus compromissos”, falou o governador.

    Mato Grosso do Sul ocupava o último lugar em transparência no ranking dos órgãos de controle. Entre eles estão a Advocacia Geral da União (AGU), a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU). Com Reinaldo, o estado passou a ocupar a primeira colocação.

    “Tínhamos nota 1,4 de governos anteriores e fomos para duas notas 10 seguidas. Outros governadores poderiam ter feito isso. Mas não fizeram. Eu fui o governador que teve coragem de criar a Controladoria-Geral do Estado (CGE-MS), que controla e fiscaliza os atos das secretarias. Enviei para a Assembleia e sancionei a lei anticorrupção, criamos fundo de combate à corrupção. Fizemos políticas públicas e o Estado avançou”, destacou.

    Para os próximos anos, Reinaldo enxerga “um horizonte de oportunidades”. “Com as medidas que tomamos, o Estado está tranquilo para fazer políticas públicas e entregas. Se tivermos a oportunidade de continuar esse trabalho, vamos reforçar indicadores extremamente positivos, que são: Mato Grosso do Sul é um dos melhores estados para se viver; é o segundo em geração positiva de empregos do Brasil, só perde para Santa Catarina; é o Estado onde mais se cresceu a renda do trabalhador; tem a quinta economia mais competitiva do País e o melhor equilíbrio e gestão fiscal do Brasil”, completou.

    Reinaldo termina em dezembro deste ano o primeiro mandato como governador de Mato Grosso do Sul. Ele concorre à reeleição pela chapa “Avançar com Responsabilidade” (PSDB, DEM, PP, PSD, Patriota, PPS, PROS, SD, PSB, PTB, Avante e PMN). As informações publicadas acima foram ditas pelo governador em entrevista à imprensa nesta sexta-feira (14). O candidato conversou com jornalistas do Campo Grande News e da FM Capital.

    ASSECOM


    Imprimir