Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    17/09/2018

    Em MS, Meirelles diz que vai colocar satélite brasileiro para vigiar fronteiras

    Presidenciável ainda afirmou que, se for eleito, vai liberar recursos para o Sisfron

    Meirelles na chegada ao Aeroporto Internacional da Capital ©Divulgação 
    O presidenciável Henrique Meirelles (MDB) afirmou, na manhã desta terça-feira (17) em evento na sede da Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul) em Campo Grande, que caso seja eleito deve colocar satélites brasileiros para vigiarem as fronteiras do país, principalmente a de Mato Grosso do Sul.

    “O satélite geoestacionário tem condições de mapear toda a fronteira. Toda a extensão de fronteira seca. O satélite irá mapeando tudo e isso será fundamental”, diz Meirelles.

    O candidato ainda lembrou que aliado a isso, deve implementar ações rápidas de mobilização policial para bloquear o tráfico de armamento e drogas que entram ilegalmente no país.

    “É preciso haver negociações diplomáticas firmes com os países vizinhos. Não adianta ter segurança de um lado só da fronteira. O Brasil é um parceiro importante e forte, temos condições de fazer uma negociação séria para defender os interesses da população brasileira”, comenta.

    Sisfron

    Ao ser questionado sobre o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras), que até o momento não saiu do papel, Meirelles disse que o país precisa antes de mais nada retomar o crescimento. Com isso, o governo federal consegue aumentar a arrecadação e liberar recursos para programas fundamentais, como é o caso do Sisfron.

    Ao final, Meirelles ainda afirmou que deve implantar por meio da Polícia Federal, um sistema de integração irá permitir a troca de informações entre os entes da segurança pública, assim, aumentando a fiscalização no país.

    Meirelles juntamente com o Junior Mochi (MDB), candidato ao governo de Mato Grosso do Sul se encontram com empresários do setor produtivo de Mato Grosso do Sul. O presidenciável apresenta proposta de governo e recebe reivindicações do setor.

    Fonte: TopMidiaNews
    Por: Rodson Willyams


    Imprimir