Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    15/09/2018

    Coluna do Roberto Costa


    NA DIANTEIRA I – Jair Bolsonaro, do PSL, é o nome a ser batido nas urnas. Não no primeiro turno. Os números divulgados pelo Ibope e Datafolha confirmam que ele é o preferido da maioria. 

    NA DIANTEIRA II – Acontece que o reverso da medalha aponta Bolsonaro liderando no quesito rejeição. Em outras palavras ele é ‘amado e odiado quase que na mesma proporção’. 

    ADVERSÁRIO I – Em não se confirmando a vitória bolsonariana no primeiro turno, fazer um prognostico de quem irá enfrentá-lo num eventual segundo turno é quase impossível! 

    ADVERSÁRIO II – Conforme as pesquisas, Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) estão na disputa do direito de enfrentar Bolsonaro. 

    IMPRESSIONANTE – De acordo com os dois institutos de pesquisa, Ciro, Alckmin e Marina, qual é um deles venceria Bolsonaro. Contra a Haddad a diferença pró Bolsonaro seria de 1%, 

    PREVISÃO OU PRECISÃO? – Eu e mais de 100 milhões de brasileiros regularmente cadastrados junto aos tribunais regionais eleitorais sequer fomos ouvidos. Então, como prever a vitoria no segundo se ainda não votamos? 

    INDEFINIDA – É como vejo a disputa política em Mato Grosso do Sul por conta dos recentes escândalos envolvendo os nomes de Odilon de Oliveira (PDT) e Reinaldo Azambuja. 

    VANTAGEM – A sustentação da vantagem que Azambuja mantinha sobre Odilon será avaliada na próxima pesquisa de opinião pública. Muitos acreditam que a ação da Federal causou prejuízo. 

    BENEFICIADO – Sem fazer agressões, Jr. Mochi, candidato indicado pelo MDB, conforme os entendidos em política, já começou a se beneficiar capitalizando adesões importantes. 

    INDEFINIDO – Longe de avocar o dom de prever o futuro, o segundo nome que representará o Mato Grosso do Sul no Senado da República promete disputa equilibradíssima! 

    GENTE NOVA – Em relação à Câmara dos Deputados, tudo indica que o tão esperado processo de renovação não se consumara. Parece que o eleitor continua distante da política. 
    INTERNET“Eu não sou a melhor pessoa do mundo, mas pelo menos não finjo ser quem não sou.” 


    Imprimir