Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    29/08/2018

    Serasa Experian relança plataforma para negociação de dívidas

    Na negociação pela internet, os credores oferecem descontos que podem chegar a até 92% do valor da dívida

    ©Pixabay
    A Serasa Experian relançou a ferramenta para negociação de dívidas. Voltado para acesso por smartphones, no Serasa Limpa Nome o consumidor pode verificar total das contas, renegociar o débito, emitir o boleto, pagá-lo e limpar o nome. Na negociação pela internet, os credores oferecem descontos que podem chegar a até 92% do valor da dívida. 

    Segundo o Serasa, a plataforma consegue atingir 27 milhões de pessoas que possuem contas em aberto. Atualmente, há 61,6 milhões de brasileiros com o nome sujo na base de dados da empresa. 

    Além de mostrar as contas que foram negativadas, o sistema também mostra as contas vinculadas ao CPF do consumidor que estão atrasadas, mas ainda não foram protestadas pelas empresas. Itaú, Bradesco, Net/Claro, Losango, Tricard, Porto Seguro cartões e Ipanema Credit Management participam da negociação online. 

    Para Pedro Dias Lopes, diretor do Serasa Consumidor, a plataforma facilita a negociação por reunir em ambiente virtual o devedor e o credor, sem o intermédio de ligações de cobrança, por exemplo. Um levantamento feito pela empresa verificou que o devedor não gosta de ser abordado por telefone, e prefere que o contato seja feito digitalmente, por email ou aplicativo de mensagens. 

    Para utilizar o sistema, o consumidor deve acessar o site do Serasa Limpa Nome e digitar seu CPF. O sistema mostrará as contas em aberto. Há opções de pagamento a vista ou parcelado. Após aceitar o acordo, um boleto é emitido. Caso o devedor precise, consegue emitir segunda via ou outras parcelas do acordo também pela plataforma. 

    DÍVIDAS 

    Com o nome sujo e o orçamento comprometido, quatro em cada dez devedores pegaram empréstimos com parentes e não pagaram, mostra um levantamento feito pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) com a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). O número é dez pontos percentuais maior que na mesma pesquisa feita no ano passado. 

    Apesar das contas mais apertadas, subiu o número de pessoas que acreditam que pagarão as dívidas nos próximos três meses (de 19,9% para 35,6%). Segundo especialistas, antes de aceitar um acordo para limpar o nome, é preciso que o consumidor faça um orçamento completo da família para verificar se conseguirá honrar a negociação e não ficar inadimplente novamente. 

    NAOM-Com informações da Folhapress.


    Imprimir