Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    31/08/2018

    ONG Educando volta ao Mato Grosso do Sul para impactar quase 8 mil alunos

    Ao todo, 80 professores de 17 escolas públicas serão capacitados pelo programa STEM Brasil entre hoje e amanhã

    ©Divulgação
    O STEM Brasil, programa de capacitação de professores da ONG norte-americana Educando, volta ao Mato Grosso do Sul para treinar um novo grupo de docentes. O trabalho deverá impactar quase 8 mil alunos de escolas públicas do estado. Entre hoje e amanhã, dias 30 e 31, 80 professores de 17 unidades de ensino de Campo Grande, Dourados, Corumbá, Ponta Porã, Maracaju e Naviraí receberão a capacitação, que visa aprimorar a formação dos docentes nas &a acute;reas de ciências (física, química e biologia) e matemática. A ação, focada nas aulas práticas, é realizada em parceria com empresas privadas e o governo local.

    “Os bons resultados do programa estão levando outros estados a nos procurar e, também, os estados nos quais atuamos a expandir esse trabalho. Sem dúvida, quem ganha com isso é o ensino público do país”, afirma Marcos Paim, diretor do STEM Brasil.

    Mato Grosso do Sul já esteve duas vezes na agenda do programa, tendo formado 119 docentes de 17 escolas, impactado mais de 13,6 mil alunos. Neste mês, o STEM Brasil chega ao Mato Grosso do Sul após formar 657 professores em 90 escolas dos estados de São Paulo, Espírito Santo e Tocantins, chegando a aproximadamente 42 mil alunos impactados somente em agosto.

    Sobre o STEM Brasil

    O STEM Brasil começou em Pernambuco, em 2009, e já treinou mais de 4 mil professores em 670 escolas de 17 estados brasileiros, alcançando um impacto positivo em mais de meio milhão de alunos (575 mil). O sucesso levou o programa a ser adaptado para o currículo mexicano, e o STEM México deve ter início ainda em 2018. Segundo levantamento da consultoria internacional ManpowerGroup, engenheiros e profissionais de TI são cargos onde há grande carência de mão de obra em ambos os países.

    O programa oferece aos professores formação exclusiva, seguindo uma metodologia própria, que enfatiza a mão na massa para dar vida ao currículo obrigatório de ciências e matemática dos estados brasileiros. As técnicas de ensino são baseadas em atividades práticas e facilitam o aprendizado de conceitos teóricos. Os professores são moldados a fazer os estudantes colaborarem em projetos e a resolverem problemas juntos, com o professor atuando como facilitador.

    A formação envolve quatro áreas: física, química, biologia e matemática. Cada professor passa por 180 horas de formação distribuídas ao longo de dois anos. “O objetivo do STEM Brasil é incentivar o professor a despertar a sua paixão nos alunos”, afirma Kelly Maurice, diretora executiva da Educando.

    Novo nome

    Em junho, a ONG Worldfund passou a chamar-se Educando. O anúncio foi feito durante a entrega do Prêmio de Liderança em Educação (Education Leadership Award), em Nova Iorque, em evento para arrecadar fundos para ampliação dos programas educacionais da ONG na América Latina. A mudança de nome tem como objetivo aproximar a organização dos professores e diretores de escolas públicas na América Latina, onde os programas estão se expandindo rapidamente e onde a ONG tem parcerias bem-sucedidas com as secretarias de Educação e os governos locais. E, em ingl&eci rc;s, ‘Edu-can-do’ remete a Education Can Do, ou seja, a educação ‘pode ajudar’, ‘pode fazer muito’ (pelo país).

    Sobre a Educando

    Inspirando Professores & Criando Líderes & Transformando Vidas

    Fundada em Nova Iorque em 2002 como World Development and Education Fund (Worldfund), a organização não-governamental Educando trabalha em parceria com governos locais para trazer investimentos de empresas privadas para projetos educacionais na América Latina. Em 15 anos, a instituição já levantou mais de US$ 30 milhões em investimentos e capacitou mais de 9,2 mil educadores no Brasil e no México, com impacto em mais de 5,3 milhões de estudantes.

    ASSECOM


    Imprimir