Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    29/08/2018

    Maurício Saito destaca ações sanitárias dos produtores durante Fórum de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa

    Aproximadamente 200 pessoas participaram do evento. Mais de 20 presidentes dos sindicatos rurais prestigiaram a iniciativa.

    ©Divulgação
    A Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS realizou nessa quarta-feira (29) o 1º Fórum Estadual do Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, em parceria com o Governo do Estado de MS, por meio da Semagro, e a Superintendência Federal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

    No evento, o presidente da Federação, Mauricio Saito, destacou o nível de excelência do trabalho desenvolvido pelo produtor rural de Mato Grosso do Sul, em relação à sanidade animal. “A qualidade da carne bovina no estado está associada às ações do setor produtivo, do Governo - Federal e Estadual - e, principalmente, pelo empenho na vigilância sanitária em Mato Grosso do Sul. Atingimos mais de 99% de cobertura vacinal, resultado da consciência e preocupação do produtor rural”, afirmou Saito.

    Saito ressaltou, ainda, a presença de mais de 20 presidentes de sindicatos rurais no Fórum, “representando a classe produtora e regiões diretamente vinculadas à atividade pecuária. As lideranças buscam informações aprofundadas a sobre esse importante momento para o setor, no estado e no Brasil”, disse.

    A primeira palestra do Fórum foi realizada pelo diretor do Departamento de Saúde Animal, do Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Guilherme Marques, que apresentou o Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa. “Depois de mais de 60 anos de trabalho árduo, dos setores público e privado, conseguimos alcançar o status de livre de aftosa com vacinação. Foi uma conquista histórica, mas não podemos parar. Precisamos trabalhar, de forma gradativa, para conseguirmos o status de livre da doença sem vacinação”.

    O diretor reforçou que Mato Grosso do Sul está no quinto bloco da estratégia do Governo Federal. “Dividimos o país em cinco grandes blocos, divisão feita após a análise de um banco de dados que considerou o trânsito de animais e a comercialização. A cada R$ 1 real investido em sanidade animal, o retorno é de R$ 36”, salientou.

    Na apresentação ‘Situação do MS e visão do Governo do Estado’, o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, destacou o trabalho desenvolvido pela defesa sanitária estadual. “Com uma extensa fronteira seca em Mato Grosso do Sul, onde há trânsito de animais, é preciso aumentar a fiscalização a partir do momento em que houver a retirada da vacina”.

    Comitê Gestor – Durante o Fórum, foi realizada a assinatura do termo de compromisso do Governo do Estado e do Decreto de Criação do Comitê Gestor. “Até 2021 seremos um estado livre de vacinação sem aftosa. É um ganho extraordinário, mas é preciso ações integradas, uma vez que a sanidade é fundamental para segurança e credibilidade da nossa produção de carne bovina. É necessária a união de esforços para a criação desse comitê”, segundo o Governador de MS, Reinaldo Azambuja.

    O presidente da Famasul pontuou que, mesmo diante dos desafios do setor pecuário, com as particularidades de Mato Grosso do Sul, como os mais de 700 km de extensão de fronteira seca internacional e o bioma Pantanal, fatores que trazem dificuldades naturais e inerentes ao nosso estado, o nível de excelência na produção de proteína animal é evidenciado com o aumento de 26% na produtividade em 20 anos.

    “O Brasil tem o segundo maior rebanho comercial do mundo e Mato Grosso Sul tem o quarto maior efetivo bovino do nosso País. Esses números nos trazem responsabilidade de como atender a demanda cada vez mais exigente da nossa carne bovina”.

    Participaram do evento: o vice-presidente do Sistema Famasul, Luis Alberto Moraes Novaes; o diretor-secretário da Federação, Frederico Stella; o diretor tesoureiro, Marcelo Bertoni; a 2ª diretora-tesoureira da Famasul, Thaís Carbonaro Faleiros; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan; o secretário da Semagro, Jaime Verruck; o secretário de Gestão Estratégica, Eduardo Riedel; o superintendente da Semagro, Rogério Beretta; o superintendente regional da Conab, Nilson Azevedo Marques; o presidente do Crea/MS, Dirson Artur Freitag; o presidente da Asumas, Celso Philippi Junior; o presidente da Avimasul, Adroaldo Hoffman; o chefe geral da Embrapa Gado de Corte, Ronney Robson Mamede; o superintendente da SFA/MS, Celso de Souza Martins.

    Representando os sindicatos rurais, estiveram no evento: Moacir Reis, de Água Clara; Ronan Nunes da Silva, de Amambai; Moezis José dos Santos, de Anastácio; Manoel Agripino Cecílio de Lima, de Bataguassu; João Nelson Lyrio, de Bandeirantes; Leandro Mello Acioly, de Bela Vista; Luciano Aguilar Rodrigues Leite, de Corumbá; Lúcio Damália, de Dourados; Otávio Vieira de Mello, de Itaporã; José Pereira da Silva, de Jateí; Ramão Benites, de Juti; Jesus Cleto Tavares, de Laguna Carapã; Hermínio Pitão, de Dois Irmãos do Buriti; Henrique Mitsuo Vargas, de Rio Negro; Telma Menezes de Araujo, de Nova Alvorada do Sul; Ivan Carrato Junior, de Três Lagoas; Pedro Junqueira, representando o Sindicato Rural de Campo Grande e Carlos Guaritá, representando o Sindicato Rural de Caracol.

    Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul 
    Por: Ana Brito


    Imprimir