Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    21/08/2018

    Em Ponta Porã, Hospital Regional é referência para mães que buscam parto humanizado

    Com três salas de parto, maternidade foi reestruturada na gestão do governador e candidato à reeleição Reinaldo Azambuja

    Divulgação
    Mulheres que buscam o parto humanizado na região de fronteira de Mato Grosso do Sul têm encontrado atendimento especializado no Hospital Regional Dr. José de Simone Neto, o Hospital Regional de Ponta Porã. A maternidade do local se tornou referência pelo trabalho de humanização do parto normal e da cesárea.

    Com três salas de parto equipadas com bolas de pilates, duchas quentes, som ambiente e aparelhos modernos de monitoramento, a unidade de saúde foi reestruturada na gestão do governador e candidato à reeleição Reinaldo Azambuja (PSDB), por meio de parceria entre o Governo do Estado e o Instituto Gerir, organização social que atua na administração de hospitais públicos.

    “Antes mesmo de pensar em ter filho, eu já sonhava com o parto humanizado. Pesquisei muito e li sobre o assunto em blogs e revistas, mas fiquei triste porque aqui na região da fronteira não tinha nenhum serviço especializado. Aí conheci a equipe da maternidade do HR de Ponta Porã e me surpreendi com o excelente trabalho que está sendo desenvolvido aqui”, contou a maquiadora Jéssica Ayala, 27.

    A coordenadora da maternidade do HR, Dyolla Grance explicou que a direção do hospital está sempre apoiando as novas técnicas de humanização do parto. “Recentemente começamos a treinar enfermeiros obstetras para o parto vertical na banqueta, que é feita de polietileno de média densidade e pode ser usada no chão ou sobre a cama. Ela possui um design especial do assento, permite total conforto para a parturiente, ao mesmo tempo em que o cóccix e ossos da bacia ficam livres. Nesta técnica a parturiente consegue conduzir melhor o parto, assim que o bebê sai, ele vem para os braços da mãe. O pai também pode ficar mais próximo e envolver-se mais, já que ele pode se sentar atrás da mulher, abraçando-a pelas costas ajudando-a a se apoiar”, explicou Dyolla.

    O filho de Jéssica nasceu em agosto deste ano através do parto natural na banqueta, ao som de músicas ambiente e meia luz.“ Recebi massagem, fiquei do jeito que me sentia confortável, caminhei no solário para ajudar na evolução do parto e utilizei a bola de pilates que me ajudou muito, além dos banhos quentes. Foi muito mais do que eu sonhei. Pude realizar o meu sonho de ter o parto humanizado e na cidade em que moro. Se pudesse faria tudo novamente, experiência única e incrível”, garantiu a jovem.

    ASSECOM


    Imprimir