Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    27/08/2018

    ELEIÇÕES 2018| Menos impostos: No Vale do Ivinhema Jr. Mochi apresenta propostas para gerar mais empregos

    Divulgação
    O candidato ao Governo do Estado, Junior Mochi (MDB), garantiu aos moradores do vale do Ivinhema, onde esteve neste final de semana, que pretende dar atenção especial aos municípios da região, que atualmente sofre com os altos índices de desemprego. A aposta do candidato é conceder incentivos fiscais aos municípios de acordo com às suas vocações.

    “Temos um dos programas mais avançados de incentivos fiscais, mas ainda existem problemas em relação a atração de indústrias. Precisamos gerar diferenciais para cada região. É preciso garantir que as vocações econômicas de cada uma das regiões tenham incentivos diferenciados em todo processo produtivo para atrair empresários”, afirmou Jr. Mochi apresentando solução eficaz ao problema.
    Divulgação
    Durante a passagem por Batayporã, por exemplo, José Martucci, presidente do sindicato municipal dos servidores públicos, pediu atenção especial para a geração lembrando ao candidato dos 700 postos de trabalhos fechados no município com o encerramento das atividades do frigorífico que operava no local.

    O candidato lembrou que este é um problema que atualmente assola o Estado e que por isso sua proposta de “menos impostos, mais empregos” tem como objetivo principal reabrir os postos de trabalho fechados, inclusive contemplando os micros, pequenos e médios empreendedores, para que voltem para a formalidade. “É necessário estabelecer uma política diferenciada de incentivos fiscais priorizando a vocação econômica de cada região, e isso é possível fazer com incentivos não só para as indústrias, mas também para a agricultura familiar, ou seja, o empreendedor vai para a formalidade e a cada emprego gerado vai tendo incentivos fiscais”, propôs.

    A comitiva do Expresso 15 esteve neste domingo em Nova Andradina, Batayporã, Deodápolis e em Ivinhema onde o candidato conversou com moradores, produtores rurais e eleitores que estão em busca de uma alternativa de voto nessas eleições.  
    Divulgação

    ASSECOM


    Imprimir