Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    11/06/2018

    Homem executado era chefe de segurança da Assembleia Legislativa de MS e estava a caminho do trabalho

    Polícia Civil está no local do crime e disse que a investigação será conduzida pela Delegacia Especializada em Repressão à Homicídios (DEH).

    Carro em que estava a vítima ficou com marcas de tiros; polícia no local em MS ©Divulgação
    O homem executado a tiros de grosso calibre, na manhã desta desta segunda-feira (11), em Campo Grande, era chefe de segurança da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Ilson Martins de Figueiredo, de 62 anos, estava a caminho do trabalho, quando foi abordado e executado por suspeitos em outro carro, segundo a assessoria.

    O presidente da casa, deputado Junior Mochi, está em agenda externa e lamentou a morte da vítima.

    O delegado Hoffman D'Avila está no local do crime e disse que a investigação será conduzida pela Delegacia Especializada em Repressão à Homicídios (DEH). No mesmo bairro, a cerca de 2km, a investigação localizou um carro incendiado que teria sido utilizado pelos suspeitos.
    Picape foi incendiada logo após execução de homem em Campo Grande ©Divulgação

    Entenda o caso

    O idoso seguia pela avenida Guaicurus, Jardim Itamaracá, quando foi perseguido por suspeitos. Ao ser atingido por tiros, ele perdeu o controle da direção, derrubou uma placa de sinalização, parte de um muro e parou.

    Conforme o relato das testemunhas à polícia, quando o carro da vítima parou, suspeitos desceram do automóvel onde estavam, foram até o homem e deram mais tiros. O corpo do homem ficou no carro. Na porta do veículo ficaram marcas de tiros e no asfalto projéteis.
    Carro da vítima foi metralhado por suspeitos em Campo Grande (Foto: Polícia Militar/Divulgação)


    Por Graziela Rezende, G1 MS


    Imprimir