Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/05/2018

    Pelo menos seis aeroportos permanecem sem combustível

    Na tarde de sexta-feira, 25, ao menos 11 aeroportos pelo País estavam sem combustível devido a greve de caminhoneiros

    ©DR
    Último balanço da Infraero divulgado na noite de sexta-feira, 25, informava que seis aeroportos administrados pela concessionária estavam sem combustível: São José dos Campos, interior de São Paulo, Uberlândia, em Minas Gerais, Ilhéus, na Bahia, Goiânia, em Goiás, Carajás, no Pará e João Pessoa, na Paraíba.

    Decreto nacional, publicado no Diário Oficial da União, autoriza o emprego das Forças Armadas no contexto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) até o dia 4 de junho.

    Em contato com atendimento do aeroporto de Congonhas, da zona sul de São Paulo, a reportagem foi informada que somente alguns voos estão atrasados na manhã deste sábado, 26, vindos de Brasília e do Rio de Janeiro. Porém, não há a informação exata se é por falta de combustível ou imprevisto da empresa aérea.

    O aeroporto de Brasília informa que adotou medidas emergenciais em razão da indisponibilidade de combustível de aviação. A administração acrescenta que trabalha para diminuir os impactos do desabastecimento causado pela paralisação dos caminhoneiros.

    Na tarde de sexta-feira, 25, ao menos 11 aeroportos pelo País estavam sem combustível devido a greve de caminhoneiros, segundo dados da Infraero.

    Eram eles: Carajás, São José dos Campos, Uberlândia, Ilhéus, Palmas, Goiânia, Juazeiro, Maceió, Recife, Joinville e Maceió. Outros ainda tinham reserva. Já o do Galeão, no Rio de Janeiro, tem oleoduto próprio e não sofre desabastecimento. A situação dos aeroportos, porém, mudou ao longo do dia.

    NAOM


    Imprimir