Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    09/05/2018

    O OUTRO LADO DO PARAÍSO| Sophia volta ao tribunal: 'Eu vou vencer'

    Maurício (Paulo Betti) e Sophia (Marieta Severo) durante o julgamento final em O Outro Lado do Paraíso ©REPRODUÇÃO/TV GLOBO
    Sophia (Marieta Severo) voltará ao tribunal para o julgamento de seus crimes e se mostrará confiante em uma reviravolta. Na reta final de O Outro Lado do Paraíso, a vilã contará com seu advogado, Maurício (Paulo Betti), para virar o jogo e acusar Clara (Bianca Bin) de armar um complô. "Eu vou vencer", acreditará a Mãos de Tesoura.

    No capítulo desta quarta-feira (9), a vilã aparecerá pronta para enfrentar as acusações de assassinato diante de testemunhas e da juíza Raquel (Erika Januza). "É a minha última batalha contra Clara. Esse julgamento vai ter uma reviravolta. Eu vou vencer", afirmará.

    A estratégia do advogado será mostrar evidências de Clara (Bianca Bin) armou para que a dona do garimpo fosse acusada injustamente. A vingativa chegará a acreditar que poderá sair do tribunal algemada, e as coisas só vão melhorar quando Mariano aparecer para dar o testemunho do ataque que sofreu da vilã, o que acontecerá no último capítulo, na sexta-feira (11).

    "Eu tentei achar alguma coisa pra botar a Sophia na parede. Só pra me livrar dela. Quem procura acha. Descobri que a Sophia era a assassina das tesouradas", lembrará a vítima.

    O garimpeiro contará, então, que chantageou Sophia para que ela o deixasse viver com Lívia (Grazi Massafera). "Ela fingiu que aceitava tudo. Que tava na minha mão. Pediu um abraço de despedida. Achei que ela tinha direito a uma despedida. Fui uma mula. Aceitei", contará ele, sobre os momentos que antecederam a tesourada que levou da assassina.

    Com a verdade exposta, a vilã resolverá contar sua versão dos crimes. "Eu sou uma pobre mulher. Tive uma infância difícil. Tive que me submeter ao desejo dos homens pra sobreviver. Mas consegui casar e constituir uma família. Me tornar respeitada. Ter um lugar na sociedade", começará ela.

    "E, de repente, o Laerte [Raphael Vianna] me chantageou. Meu mundo ia ruir. Eu perdi a cabeça. E todos, todos continuaram a me chantagear, a me colocar contra a parede. Eu tive que me defender. A vítima fui eu. Vítima até mesmo do Mariano, a quem eu nunca, nunca quis matar. O Mariano me pertencia. Eu não podia permitir que fosse de outra mulher. Eu só me defendi das chantagens. Eu só me defendi por amor", justificará a criminosa.

    Após a confissão, a magistrada ordenará que defesa e acusação deem suas palavras finais. "Senhores, a ré confessou. Ela matou. Mas vejam bem: ela disse que se defendeu. Não foi assim. Ela matou a tesouradas. Isso mostra que houve premeditação. Caso contrário, não teria uma tesoura à mão", argumentará o advogado de acusação.

    "Ela matou por diversos motivos. Mas o principal deles foi a ambição. Ela matou para preservar seu lugar como rainha das esmeraldas. Eu peço as penas máximas para os quatro crimes. Sophia Montserrat é a culpada dos crimes!", encerrará ele.

    Em seguida, será a vez da defesa. "Sophia Montserrat é uma mulher indefesa em um mundo de lobos. Sofreu. Lutou. Conseguiu um nome. Quando viu tudo prestes a desmoronar, matou. Não por premeditação. Para defender sua reputação", justificará Maurício.

    "Peço que os senhores jurados levem em consideração os sentimentos dessa mulher. Deem uma chance para que ela retome sua vida na sociedade. Sophia Montserrat cometeu os crimes, como ela mesma reconheceu. Foi induzida a isso pela violência com que foi tratada pelas vítimas. Que isso sirva de atenuante. Ela merece a absolvição", terminará o defensor.

    A cena culminará com a condenação da vilã, que será mandada para um manicômio judiciário no final de O Outro Lado do Paraíso.

    Fonte: UOL
    Imprimir