Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    29/05/2018

    Deputados devem analisar veto do governador e outros três projetos na sessão de hoje

    Plenário da Assembleia durante sessão ordinária ©Luciana Nassar
    Na sessão ordinária desta terça-feira (29), os deputados estaduais devem votar, em discussão única, o veto do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ao Projeto de Lei (PL) 234/2016, que dispõe sobre instalação de circuito fechado de televisão em asilos, creches e pré-escolas particulares de Mato Grosso do Sul. Outros três projetos estão previstos para serem analisados hoje.

    O PL 234, de autoria do deputado Amarildo Cruz (PT), foi vetado totalmente pelo Executivo por ter “vício de inconstitucionalidade formal”, conforme justificativa do governador. Isso porque, de acordo com a Constituição Federal, cabe aos municípios atuar no ensino fundamental e na educação infantil. O parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) é favorável à manutenção do veto.

    Também deve ser votado, em discussão única, o Projeto de Resolução 15/18, que concede título honorífico de Cidadão Sul-Mato-Grossense ao pastor Fernando Campanha Rios, mestre em Teologia. A matéria, de autoria do deputado Renato Câmara (PMDB) já tem aprovação da CCJR.

    Em segunda discussão, está prevista a votação do PL 100/16, de autoria do deputado Lídio Lopes (PEN). O projeto prevê a implantação de pontos de travessia de animais silvestres sobre ou sob as estradas, rodovias e ferrovias, em Mato Grosso do Sul.

    O PL conta com parecer favorável da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. “A criação de estruturas minimizará o índice de mortalidade dos animais e garantirá maior segurança aos cidadãos sul-mato-grossenses”, justifica o parlamentar.

    Ainda na sessão desta terça-feira, os deputados devem analisar, em primeira discussão, o PL 83/18, de autoria do deputado Felipe Orro (PSDB). A matéria institui a Campanha de conscientização sobre os riscos da dependência de aparelhos de tecnologia eletrônica (nomofobia). “A dependência da tecnologia, do computador, da Internet é crescente e apesar de serem vícios socialmente aceitos, são igualmente nocivos pois alteram o comportamento das pessoas”, afirma o deputado na justificativa do projeto. A matéria tem parecer favorável da CCJR.

    ASSECOM


    Imprimir