Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    12/04/2018

    “Estado não pode corromper-se ao combater corrupção”, diz deputado Fábio Trad

    Deputado exaltou importância da Lava Jato, no entanto advertiu para o perigo de se atropelar direitos individuais, em ações que juristas classificaram de exacerbadas ou abusivas

    © Divulgação
    Em discurso ao plenário da Câmara nesta quinta-feira (12), o deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) fez o que ele próprio chamou de um breve balanço sobre a Operação Lava Jato.

    Reconhecendo os méritos da operação e classificando-a como um ‘remédio eficaz, de amplo espectro no combate à corrupção institucionalizada nos meandros do Estado’, ele destacou o caráter pedagógico que evidencia que a esperteza que ignora os limites da lei deve ser punida, independente de quem seja.

    “Basta relembrar o desfile de nomes outrora influentes da política nacional que hoje amargam a condição de presos. Uns, condenados; outros, na iminência de sê-lo”, disse.

    Tudo, no entanto, serviu apenas de preâmbulo para a mensagem que viria a seguir. O parlamentar fez uma severa crítica em relação a alguns casos que, segundo ele, atropelaram direitos individuais, em ações que juristas classificaram de exacerbadas ou abusivas e disse que a justiça não pode ser feita “às custas da dilapidação da nossa reserva constitucional de garantias”.

    “Os fins não justificam os meios. Qualquer concessão, por mais tímida que seja, a implicar relativização de garantias e direitos individuais traduz retrocesso que diminui e avilta a qualidade da democracia de um país. Por isso, o Estado brasileiro não pode corromper-se ao combater a corrupção. Não pode o Estado transformar-se em transgressor da lei sob o pretexto de que está combatendo quem a transgride”, advertiu.

    Fonte: ASSECOM
    Imprimir