Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    09/03/2018

    Outras quatro envolvidas na operação Lama Asfáltica estão presas em casa

    Investigados tiveram habeas corpus derrubado pelo STF

    Sócia e ex-secretária da Proteco, Elza Cristina Araújo dos Santos, está presa em casa © Álvaro Rezende/Arquivo
    Além de Edson Giroto, João Amorim e outros dois envolvidos da Operação Lama Asfáltica, que se apresentaram à Polícia Federal nessa manhã, Raquel Giroto, a sócia e ex-secretária da Proteco - empresa de João Amorim -, Elza Cristina Araújo dos Santos, Ana Paula Amorim Dolzan, filha de Amorim, e a filha de Beto Mariano, a médica Mariane Mariano de Oliveira também estão detidas em casa.

    João Amorim, Edson Giroto, Flávio Schrocchio e Beto Mariano se apresentaram à superintendência hoje para o cumprimento dos mandados de prisão expedidos na 2ª fase da Operação Lama Asfáltica, nomeada como Fazendas de Lama. As mulheres tiveram mandados de prisão preventiva para prisão domiciliar.

    Todos foram beneficiados com habeas corpus concedido no ano passado. Nessa semana, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a medida que garantia a liberdade, determinando que os envolvidos voltassem à prisão.

    Os mandados de prisão domiciliar foram cumpridos por meio de oficiais de Justiça nas próprias residências das presas. As quatro ficarão recolhidas durante o dia e a noite em suas casas, podendo se ausentar somente com autorização do juiz.

    A Polícia Federal ficará responsável pela fiscalização das prisões domiciliares, podendo adentrar nas residências a qualquer momento para verificar o fiel cumprimento da medida restritiva. Caso haja alguma violação no cumprimento da ordem judicial, a Polícia Federal comunicará imediatamente ao juízo para a adoção das medidas cabíveis.

    Fonte: CE
    Por: LEANDRO ABREU


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS