Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/02/2018

    TRÊS LAGOAS| Município mantêm uma das melhores categorias perante o Ministério do Turismo

    Entre os benefícios da avaliação está a garantia de receber recursos federais e pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico

    © Divulgação
    A expansão de Três Lagoas continua e, desta vez, não estamos falando somente das indústrias. De acordo a atualização da categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro, apresentado pelo Ministério do Turismo, a cidade se manteve na categoria B.

    Segundo o relatório fornecido pelo Ministério do Turismo (MTur), a atualização do instrumento revelou um crescimento da atuação do turismo em 358 municípios. O estudo também revelou queda no desempenho de alguns municípios, seja pela redução do seu fluxo turístico ou pelo encolhimento da mão-de-obra ou infraestrutura ligada ao setor.

    Para a Diretora de Turismo, Tatiana Giacheta, “o instrumento é importante para acompanhar o desempenho da economia do turismo nos municípios e serve também como balizador de políticas do setor e direcionamento de verbas federais”.

    Tatiane explica ainda que essa atualização é importante para a cidade, pois contribui com a economia municipal, já que coloca Três Lagoas no Mapa do Turismo, trazendo assim turistas de outros Estados e cidades do País.

    "A atual administração tem como uma de suas metas fomentar o turismo local e, resultados como esses mostram que Três Lagoas está no caminho certo”, observou a diretora de Turismo.

    O Departamento de Turismo vem trabalhando “para melhorar cada vez mais esse quadro, inclusive elaborando e buscando recursos para realização de projetos”, anunciou Tatiane. 

    A nova categorização oferece elementos para aprimorar a gestão do turismo, otimizar a distribuição de recursos e promover o desenvolvimento do setor.

    Adotado pelo MTur desde 2004, o novo sistema tem como objetivo agrupar municípios com características semelhantes para que seja possível traçar parâmetros para atendimentos com diferentes necessidades.

    COMO FUNCIONA

    Divididos por letras, que vão de ‘A’ a ‘E’, os municípios foram avaliados a partir de quatro variáveis segundo o desempenho econômico de cada um. Entre os itens avaliados estão: número de empregos, de estabelecimentos formais no setor de hospedagem, estimativas de fluxo de turistas domésticos e internacionais.

    De acordo com a nova classificação, 189 cidades subiram da categoria ‘E’ para ‘D’, tornando-as aptas a receber recursos federais.

    Segundo a Portaria 39/2017 do Ministério do Turismo, somente municípios classificados entre ‘A’ e ‘D’ podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico, por exemplo. Ainda seguindo essa Portaria, apenas 82 cidades desceram da categoria ‘D’ para ‘E’ deixando de participar do programa de apoio a eventos.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir