Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/02/2018

    Mãe de garoto que matou padrasto ficará presa por corrupção de menor e homicídio

    Justiça decidiu por prisão preventiva

    © Divulgação
    A mãe do adolescente de 15 anos que matou o padrasto estrangulado na noite deste sábado (24), em Campo Grande, vai responder por homicídio qualificado por asfixia e corrupção de menores. A conversão da prisão em flagrante para prisão preventiva foi pedida pelo Ministério Público Estadual e deferida pelo juiz José Henrique Neiva de Carvalho e Silva em audiência de custódia realizada na manhã desta segunda-feira (26).

    A defesa solicitou à Justiça liberdade provisória da suspeita alegando não haver no caso requisitos necessários para mantê-la presa preventivamente, no entanto, a prisão foi determinada e ela segue no presídio feminino da Capital. O adolescente, internado na Unei (Unidade Educacional de Internação) Dom Bosco foi apreendido por ato infracional análogo a homicídio qualificado.

    Vizinhos da casa onde o crime aconteceu disseram que ouviram a mulher gritar para que o garoto enforcasse a vítima.“Ela gritava para o menino: enforca ele se não ele vai matar a gente”, contou uma mulher que preferiu não se identificar.

    Outro morador que também não quis se identificar afirma que Cristiano tinha porte físico grande, maior que o corpo do enteado, por este motivo, suspeita que o menino tenha sido ajudado pela mãe a matar o padrasto. “Só o garoto não ia conseguir imobilizar ele. Acredito que os dois agiram juntos”, revela.

    O caso

    Cristiano foi encontrado morto por estrangulamento na lavanderia da casa onde morava no Bairro Noroeste, em Campo Grande. O suspeito da morte é o enteado da vítima, um adolescente de 15 anos. O caso aconteceu durante a noite deste sábado (24).

    De Acordo com informações da polícia, o menor de idade teria chegado à residência da família e ouvido a mãe gritar por socorro. Ao entrar no local, encontrou a mulher apanhando do marido, momento em que entrou na briga para defendê-la.

    Padrasto e enteado trocaram socos e por um momento, o garoto conseguiu abraçar a vítima por trás e apertar seu pescoço com o braço.

    Fonte: Midiamax
    Por: Clayton Neves


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS