Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/02/2018

    Governo do Estado lança medidas para incentivar produção de carne sustentável

    Evento será realizado na manhã desta terça-feira na sede da Famasul, em Campo Grande.

    Governador Reinaldo Azambuja assinará amanhã resolução de incentivo à carne sustentável (Foto: Marcos Ermínio)
    O governo do Estado lança nesta terça-feira (27) medidas de apoio à produção de carne sustentável no Pantanal em meio ao fórum “Oportunidades de precificação de carbono no setor agropecuário”, na sede da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuário de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande, a partir das 8h.

    O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e o secretário Jaime Verruck, titular da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), vão assinar uma resolução que trata do assunto.

    “Mato Grosso do Sul está no radar dos países consumidores de alimentos devido à qualidade e confiabilidade de seus produtos. E o governo do Estado, atendendo a essa demanda, lança o programa carne sustentável do Pantanal. Estamos transformando em política pública um protocolo de produção sustentável desenvolvido pela ABPO [Associação Brasileira de Pecuária Orgânica] e WWF [World Wide Fund, Fundo Mundial para a Natureza]”, diz Verruck

    O objetivo do Estado é fomentar a competitividade e incentivar a pecuária bovina de baixo impacto no Pantanal, estimulado assim a produção baseada no modelo tradicional, com baixo nível de intervenção nos recursos naturais existentes.

    Sobre o tema do fórum, o governo do Estado tem defendido o incentivo as práticas sustentáveis promovendo a redução das emissões de carbono na produção industrial e agropecuária, seguindo as diretrizes e metas firmadas na COP 21 (21ª Conferência do Clima).

    “O Brasil tem condições de liderar a questão das mudanças climáticas e Mato Grosso do Sul apresenta uma situação favorável para despontar como referência, pois oferece condições competitivas para o setor produtivo e abriga boas práticas de sustentabilidade”, diz Jaime Verruck.

    Também será debatida no fórum a utilização de ferramentas de precificação de emissões de carbono na agropecuária. A discussão nacional sobre o assunto ocorre com supervisão Ministério da Fazenda e integra o projeto PMR Brasil (Partnership for Market Readiness, Parceria para a Preparação do Mercado), com foco na regulação do setor.

    Fonte: campograndenews
    Por: Gabriel Neris


    Imprimir