Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/02/2018

    Corpo de mulher é encontrado dentro de mala em córrego

    Corpo foi levado ao IML da cidade. Investigações serão conduzidas pela GIH do município

    © Divulgação
    O corpo de uma mulher, que tinha entre 30 e 40 anos de idade, foi encontrado dentro de uma mala jogada no córrego que passa sob a ponte da Avenida Toledo, na Vila São Joaquim, em Aparecida de Goiânia.

    Segundo informações da Polícia Civil, que está no local, a pessoa estava vestida e com um sinal de agressão no pescoço, que indica uma provável morte por enforcamento. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal da cidade, onde a perícia iniciará o trabalho de identificação. As investigações serão conduzidas pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) do município.

    De acordo com a agente Fernanda Barros, que atendeu a ocorrência, os dentes da vítima apresentavam uma coloração típica de usuários de entorpecentes. “Ela estava de vestido, com uma marca no pescoço, o que nos leva a crer que a morte foi por enforcamento. Pela cor dos dentes, provavelmente era usuária de drogas. Não tinha identificação com ela, nem nas roupas nem na mala, e a suposição é de que o crime tenha ocorrido nas últimas 24h e que a chuva tenha hidratado o corpo, o que dificulta a determinação do horário da morte. Vamos aguardar laudo do IML, além da identificação da vítima para prosseguir com as investigações”. Segundo a policial, o corpo não apresenta sinais de violência sexual.

    Segundo o agente Diogo Almeida, da Delegacia de Homicídios da cidade, a denúncia ocorreu por volta das 8h30 da manhã. “A denúncia foi de uma mala jogada. A PM veio, constatou e nos acionou”.
    Uma pessoa que passava pelo local estranhou a presença do objeto e ligou para a polícia (Foto: reprodução)
    Uma fonte na Polícia Militar que preferiu não ser identificada revelou que a mala foi aberta para constatação do crime. “Ao chegar no local, um policial abriu a mala para checar o que havia no interior dela e percebeu que era uma pessoa vestida. Na sequência, a bolsa foi fechada para que a perícia fizesse uma avaliação”.

    Fonte: MaisGoiás
    Por: Hugo Oliveira


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS