Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    08/02/2018

    BODOQUENA| Câmara Municipal irá notificar empresa responsável pela construção das unidades habitacionais do Bandeira II

    © Divulgação
    Para verificar denúncias que colocam em xeque a qualidade das 45 unidades habitacionais do Loteamento Bandeira II, o presidente da Câmara de Bodoquena vereador Edinho Carvalho (PR) acompanhado dos vereadores Osmar Ajala (PMDB), Emerson Garrucha (PTdoB) e Carlos Petronilio (PSDB), esteve na tarde desta terça-feira (6/02) no local em vistoria e constatou que, além dos problemas estruturais das residências, o asfalto apresentou em vários pontos, defeitos na pavimentação. 

    Os vereadores irão pedir a notificação da empresa responsável pela execução das obras que resultaram na construção das casas para cobrar explicações e solução quanto aos problemas estruturais verificados no asfalto e nas moradias. 

    Edinho explicou que mesmo com o trânsito de veículos leves o asfalto já esta cedendo, “a malha asfáltica já começa apresentar sinais de seu enfraquecimento, tendo deformações em diversos pontos no loteamento. As patologias em pavimentos asfálticos podem surgir por causa de um projeto deficiente, pela técnica de construção inadequada ou ainda pela falta de manutenção”, disse o presidente. 

    De acordo com os moradores, problemas apareceram na parte elétrica em algumas das residências entregues no começo do ano pelo Governo do Estado, representado em ato oficial pela governadora em exercício Rose Modesto (PSDB). 

    As unidades habitacionais foram edificadas por meio do Programa Habitacional Financiado e Subsidiado, do Governo do Estado com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). 

    Conforme assessoria do governo, foram investidos R$ 3,4 milhões, sendo R$ 336 mil dos cofres estaduais e contrapartida da União e também do município. 

    Cada casa possui 42m² de área construída, divididos em sala, cozinha, dois quartos, banheiro e área de serviço coberta. Adaptadas para pessoas com deficiência, as moradias foram destinadas para famílias com renda mensal entre R$ 1,3 mil e R$ 3,5 mil e que têm capacidade de comprometer 30% da renda com o financiamento.




    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS