Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    02/01/2018

    Agesul corre para concluir desvio para veículos pesados em estrada interditada

    Chuva provocou desmoronamento em parte da pista da rodovia MS-338, fazendo com que apenas um lado da pista esteja liberado para veículos leves

    Equipes trabalhando em trecho que desmoronou da rodovia MS-338 (Foto: Divulgação)
    Representantes da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) acompanham os trabalhos da equipe contratada para realizar obra de restauração do trecho que desabou na rodovia MS-338, devido as fortes chuvas na região. O próximo passo é providenciar um desvio para veículos pesados, já que o tráfego desses está temporariamente interrompido no local.

    Os estragos foram provocados a 25 quilômetros de Santa Rita do Pardo, distante 266 quilômetros de Campo Grande, sentido Bataguassu. De acordo com o diretor em exercício de empreendimentos viários da Agesul, Arsil Garcez, como continuar a chover na região, os serviços devem atrasar.

    "Por enquanto nós vamos providenciar que seja feito uma passagem de tubo e que pedras sejam jogadas no local, para em seguida ser feito o revestimento", afirmou Arsil. Ainda segundo ele, o problema já preocupava dias atrás. "Antes do Natal deu sinais, mas a chuva vem aumentando, o que atrasou tudo".

    MS-141 - Agesul também realiza obras na rodovia MS-141, que liga Ivinhema a Naviraí. As atividades de recuperação da pista, no local, tiveram início no dia 26 de dezembro. Por lá, as fortes chuvas, registradas desde o início do mês passado, também provocaram desmoronamentos e, por conta disso, o tráfego no local também funciona em apenas um dos lados da pista.

    Os trabalhos começaram com a recolocação dos tubos que foram arrancados pela enxurrada, e a conclusão vai depender das condições do tempo, segundo a Agesul, levando em conta o fato de que a previsão é de chuva na região nos próximos dias.

    De acordo com a Agesul, o rompimento de parte da pista ocorreu na altura do km 28. O tráfego no local está liberado apenas em meia pista, mas a Polícia Militar Rodoviária não tem registrado congestionamento no local. Os motoristas devem ter atenção redobrada no trecho, por conta da presença de máquinas e de trabalhadores.

    A orientação para quem está na região de Naviraí e pretende se deslocar até Ivinhema, é seguir pela rodovia BR-163 até Dourados, depois Caarapó até chegar na MS-376, num percurso de aproximadamente 270 km, passando por Fátima do Sul, Vicentina, Glória de Dourados e Deodápolis. A previsão é de que as obras no local terminem no dia 20 de janeiro.

    Fonte: campograndenews
    por: Liniker Ribeiro


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS