Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    21/12/2017

    Volta de ex-secretário marca última sessão plenária da Assembléia em 2017

    O deputado Junior Mochi, presidente da Assembleia, no comando da última sessão plenária de 2017 (Foto: Divulgação)
    A última sessão plenária da Assembleia Legislativa em 2017, nesta quinta-feira (21), foi marcada pela participação do ex-secretário estadual José Carlos Barbosa, o Barbosinha, que deixou o comando da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública no dia 19 deste mês para reassumir seu mandato de deputado.

    “Mesmo estando na secretaria nunca deixei de acompanhar a trajetória da Assembleia. Muitos avanços foram conquistados ao longo deste ano, um ano de muito trabalho, e sempre de forma democrática e transparente”, disse José Carlos Barbosa, que estava à frente da SEJUSP desde 01 de abril de 2016.

    Depois do “pacotão”de projetos aprovados na sessão de ontem, a pauta desta quinta-feira previa apenas clima de confraternização e despedida do ano, além do retorno do ex-secretário. No entanto, os parlamentares ainda aprovaram um projeto de autoria do Poder Executivo, de número 311/2017, que prevê correção nos casos de distorções salariais de delegados da Polícia Civil.

    Incluída na pauta por acordo de liderança, a proposta recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, que emitiu e aprovou em plenário, por maioria. O presidente da Casa, Junior Mochi (PMDB) comandou a votação em primeira discussão, que aprovou a matéria com 15 votos favoráveis.

    Balanço do ano - De acordo com dados divulgados pela Assembleia Legislativa, o ano de 2017 registrou a tramitação de 6.464 projetos. Em 122 sessões plenárias, foram apresentados 1.001 projetos.

    Conforme o balanço, ao longo do ano tramitaram 305 Projetos de Leis (PLs), 96 Projetos de Resoluções (PRs), 14 Projetos de Leis Complementares (PLCs), 21 Projetos de Decretos Legislativos (PDLs), duas Projetos de Emenda à Constituição (PECs), 34 Vetos Totais e Parciais e 529 Emendas (Aditivas, Modificativas, Substitutivas, Supressivas e de Redação). Os parlamentares fizeram mais de 3.600 Indicações, 1.500 Moções e 344 Requerimentos.

    “Fazendo um comparativo com 2016, dobramos o número de proposições apresentadas, demonstrando a vontade e participação dos deputados na questão legislativa do Parlamento”, avaliou Junior Mochi.

    Fonte: campograndenews
    por: Paulo Nonato de Souza e Anahi Gurgel


    Imprimir