Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    22/12/2017

    Defesa de Maluf faz novo apelo à Justiça para obter prisão domiciliar

    Advogados de defesa alegam que o deputado está com a saúde frágil

    © DR
    Na mesma tarde em que o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) foi transferido pela Polícia Federal de São Paulo para Brasília, a defesa do ex-prefeito de São Paulo, preso desde a quarta-feira, 20, apresentou nesta sexta-feira, 22, um novo pedido à Vara de Execuções Penais do Distrito Federal para obter permissão para o cumprimento de pena em regime domiciliar. O pedido é que esse benefício seja concedido pelo menos até a conclusão de todas as perícias necessárias para a verificação das reais condições de saúde do político.

    "Por se tratar de sentenciado de 86 anos de idade, bem como por medida de humanidade, às vésperas do Natal, e em respeito ao princípio da dignidade humana", justificaram os advogados na petição, em que alegam "excepcionalidade" da situação de Maluf.

    No mesmo documento, encaminhado ao juiz substituto Bruno Aielo Macacari, a defesa também apresentou perguntas que pretende ver respondidas pelo Instituto Médico Legal, na avaliação que o instituto deverá fazer do quadro de saúde do ex-prefeito de São Paulo. Além disso, os advogados pediram a inclusão de dois médicos peritos como assistentes técnicos da defesa para acompanharem o político condenado nas dependências médicas.

    Exames

    De bengala e apoiado em uma médica particular, Paulo Maluf deixou às 16h15 desta sexta-feira na aeronave PR-BSI que o transportou do Aeroporto de Congonhas até o hangar da Polícia Federal em Brasília. O parlamentar, condenado no Supremo e que teve o início da prisão determinado na terça-feira pelo tribunal, foi deslocado então para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou pelo exame de corpo de delito, que é de praxe, por cerca de 1h30. Por volta das 17h45, Maluf deixou IML escoltado pela PF em direção à Penitenciária da Papuda em Brasília.

    É no Centro de Detenção Provisória (CDP) da Papuda que Maluf irá passar por uma perícia médica mais aprofundada que foi solicitada pelo juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal - como uma forma de esclarecer se as condições de saúde demandam a concessão da prisão domiciliar pedida pela defesa.

    A expectativa da defesa é que seja tomada uma decisão ainda hoje sobre o pedido de concessão de liberdade provisória pelo menos até a análise definitiva.

    O advogado Marcelo Turbay, que compõe a equipe de defesa de Maluf, se reuniu com o juiz Bruno Aielo Macacari, que ordenou a transferência do deputado Paulo Maluf (PP-SP) para as "dependências da Polícia Federal", em Brasília. A defesa fez suas considerações, reforçou o pedido de domiciliar, é uma medida de cautelar diante do recesso forense, e vai aguardar com respeito e acatamento a decisão do juiz.

    Segundo pessoas próximas a Maluf, desde o começo de dezembro, ele teve piora significativa no quadro de saúde, antes mesmo da prisão. 

    Fonte: NAOM - Com informações do Estadão Conteúdo.


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS