Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    16/11/2017

    TRÊS LAGOAS| Secretário de Meio Ambiente e agricultores do município visitam CEASA de Campo Grande

    O objetivo da visitação é ter o local como base para a implantação da Central de Comercialização de Produtos da Agricultura Familiar de Três Lagoas

    © Divulgação
    O secretário Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio, Celso Yamaguti, acompanhado do engenheiro agrônomo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA), Manoel Latta, e produtores da agricultura familiar de Três Lagoas, participaram de uma visita técnica organizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), a Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul (CEASA) em Campo Grande para obter informações visando a implantação da Central de Comercialização de Produtos da Agricultura Familiar de Três Lagoas.
    © Divulgação
    No CEASA, a equipe foi recebida pelo gerente de comercialização do Centro de Comercialização da Agricultura Familiar (CEAF), Nei Salviano; pelo gerente de comercialização da CEASA, Francisco Pacca, e pela consultora do SEBRAE, Cláudia Matos. “Lá pudemos entender como funciona a recepção dos produtos, organização e comercialização. Além disso, achamos interessantes que, dentro do CEASA há a CEAF, que é dedicada a comercializar o que é produzido pelos agricultores familiares”, explica Celso.

    Segundo Pacca, por dia são mais de 3.500 veículos que circulam pelo local, entre compradores e visitantes, além de 1.200 caminhões e carretas que fazem carga e descarga no local. “Por dia, há uma circulação financeira de cerca de R$ 1 milhão com a venda de frutas, vegetais e outros diversos produtos que são comercializados em todo o Estado. De todos os dias do ano, apenas no Natal, Ano Novo e Sexta-feira Santa a CEASA não abre”, comenta.


    © Divulgação
    Para o produtor rural do Cinturão Verde, Pedro Piranha, se Três Lagoas contar com uma estrutura semelhante ao do CEASA, os agricultores familiares seriam muito mais valorizados e beneficiados. “Percebemos que a demanda de produtos é ampla e com isso conseguiríamos escoar ainda mais a nossa produção. Além disso, a agricultura familiar teria um espaço próprio que poderia comercializar seus produtos”, diz.

    Na oportunidade, o grupo também visitou o Sítio Terra Benta, o qual é referência na produção de hortaliças orgânicas certificadas.

    A CENTRAL DE TRÊS LAGOAS

    Em busca de melhorias para a Agricultura Familiar, o prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro, acompanhado do secretário municipal de Governo e Políticas Públicas, Daynler Leonel; secretário Celso Yamaguti e o do engenheiro agrônomo Manoel Latta, visitou, em setembro, o gabinete do deputado federal Zeca do PT, em Campo Grande.

    Com apoio do deputado Vander Loubert, foi discutida a construção de uma Central de Comercialização de Produtos da Agricultura Familiar de Três Lagoas, sendo que essa mesma pauta já havia sido tratada durante outras visitas do prefeito a Brasília. Os deputados estão cientes da necessidade desse local e trabalhando no sentido de conseguir verbas, por meio de emendas parlamentares impositivas, ou seja, aquelas que o governo é obrigado a pagar, para construir esse local que fortalecerá ainda mais esse ciclo da agricultura familiar.

    Conforme Angelo Guerreiro, a ideia também contempla a criação, nesse mesmo local, de salas de reunião e treinamento, além de uma câmara fria para estocagem. “Estamos nos empenhando ainda em buscar recursos para a aquisição de um veículo com baú refrigerado para garantir o transporte sem perdas desses produtos, seja do local de colheita até essa central, seja para a distribuição nas Escolas da REME que recebem esses alimentos por meio do PNAE e PAA”, explica.

    Essa Central, segundo Celso Yamaguti, funcionará como um local de recebimento e comercialização de produtos. “Como terá uma infraestrutura completa de armazenamento e comercialização, será possível que essas famílias tenham um ponto fixo para comercializar seus produtos. Além disso, isso evita desperdício, pois como tem uma estrutura de transporte e refrigeração os produtos chegam com qualidade ainda melhor aos seus destinos”, diz.

    Além da busca de recursos por meios federais, ainda existe a expectativa do apoio de empresas locais visando a construção e manutenção do prédio, sendo que a Prefeitura também se empenha em conseguir uma área ideal para que essa obra seja executada. Outra parceira da ideia é a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SEDECT) que junto ao SEBRAE fazem diversos acompanhamentos junto aos agricultores familiares e se empenha em incentivar a aquisição dos produtos. 

    © Divulgação
    © Divulgação

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS