Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    27/11/2017

    Temer deve receber alta nesta segunda-feira após angioplastia

    Presidente passou por procedimento nas artérias na sexta; no sábado, médico disse que ele poderá retomar suas atividades normais.

    Michel Temer deve receber alta hospitalar nesta segunda-feira (27)
    O presidente Michel Temer (PMDB) deve ter alta nesta segunda-feira (27) do Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, onde passou por uma angioplastia de três artérias coronárias na noite de sexta-feira (24).

    No sábado (25), o cardiologista Roberto Kalil Filho, um dos responsáveis pelo atendimento ao presidente, disse que ele poderá retomar suas atividades normais.

    Veja abaixo a nota divulgada pelo Sírio-Libanês neste domingo

    O presidente Michel Temer passou a noite bem e seu quadro de saúde é estável. A previsão de alta é para amanhã, dia 27 de novembro.

    Ele permanece sendo acompanhado pela equipe médica coordenada pelo Prof. Dr. Roberto Kalil Filho.

    Dr. Fernando Ganem

    Superintendente médico

    Artérias

    Roberto Kalil Filho afirmou que o procedimento teve "sucesso". Segundo ele, as três artérias tratadas tinham obstruções relevantes, de cerca de 90%, e o presidente corria o risco de sofrer um infarto. Em duas delas, foram colocadas stents. Na terceira artéria tratada, considerada de importância secundária, foi feita apenas a angioplastia, que é o alargamento da artéria, e não foi colocado stent.

    A obstrução parcial da artéria coronária de Temer foi divulgada à imprensa em 10 de outubro. Segundo a TV Globo apurou, Temer cogitou fazer o procedimento naquela época, mas optou por adiar para depois da votação pela Câmara dos Deputados da denúncia por organização criminosa e obstrução de Justiça. A Casa rejeitou a acusação.

    À época, o Palácio do Planalto declarou que Temer goza de perfeita saúde. E acrescentou que, nos exames, "não foi constatado nem reportado ao presidente nenhum problema”.

    Avaliação urológica

    Temer também passou por uma avaliação urológica nesta sexta. Em 25 de outubro, o presidente teve um mal-estar e foi levado para um hospital militar em Brasília. Dois dias depois, ele passou por uma cirurgia nomeada de "procedimento de desobstrução uretal através de ressecção da próstata", também no Hospital Sírio-Libanês.

    A avaliação desta sexta confirmou que o problema evoluiu de forma satisfatória.

    Por G1 SP


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS