Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 10 de novembro de 2017

    Monteiro e Kayatt estudam prazo para renunciar mandato parlamentar

    Eles devem assumir vaga de conselheiros no Tribunal de Contas

    Deputados, Kayatt e Monteiro precisam renunciar antes de assumir cargo no TCE (Foto: Montagem)
    O secretário da Sefaz (Secretaria de Fazenda), Márcio Monteiro, e o deputado estadual Flávio Kayatt (PSDB), estudam prazo para renunciar mandato parlamentar a fim de assumir vaga de conselheiros no TCE (Tribunal de Contas do Estado).

    Deputado federal licenciado, Monteiro disse ao Campo Grande News que tomará a decisão somente quando tiver definida a data de posse na corte. “Tem um processo a ser tramitado e a renúncia da Câmara [dos Deputados] deve ser quando for marcada a posse”, ponderou.

    Enquanto na Sefaz o adjunto Guaraci Fontana está cotado para assumir, mesmo que interinamente, no parlamento o mandato passa a ser definito para Elizeu Dionizio (PSDB). O tucano renunciou vaga de vereador na Câmara Municipal de Campo Grande por ser suplente de Monteiro, que não teria como acumular as funções de deputado federal e secretário.

    No caso de Kayatt, a renúncia “deve acontecer na próxima semana”. Somente quando validado o processo de forma verbal ou escrita no plenário da Assembleia, o suplente Enelvo Felini (PSDB) será notificado pela mesa diretora para apresentar documentos de posse.

    Para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), além de nomear os dois novos conselheiros, caberá a missão de definir um substituto no comando da Sefaz e da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), tendo em vista que Felini ainda comanda a autarquia.

    Aprovados – Em regime de urgência a Assembleia Legislativa aprovou, na quinta-feira (9), as indicações do secretário da Sefaz (Secretaria de Fazenda), Márcio Monteiro, e do deputado Flávio Kayatt (PSDB), para vagas de conselheiros do TCE (Tribunal de Contas Estadual).

    Antes da votação, Flávio Kayatt comentou sobre seu futuro na Corte Fiscal, afirmando que pretende focar na tecnologia no que se refere à análise dos processos das prefeituras. Destacou também seu trabalho como parlamentar, colocando como ponto alto sua atuação como relator da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da JBS.

    Márcio Monteiro não participou da votação, uma vez que esteve dois dias antes na Casa de Leis para solicitar apoio dos deputados. Na ocasião, ele disse estar preparado para assumir.

    Kayatt assume por indicação da Assembleia a vaga deixada pelo conselheiro José Ricardo Cabral, enquanto Monteiro contou com aval do governador para ocupar o posto de Marisa Serrano. Ambas as mudanças decorrem da concessão de aposentadorias.

    Fonte: campograndenews
    Por: Kleber Clajus


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS