Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 28 de outubro de 2017

    ARTIGO| A política de cabeça para baixo

    Por: Júlio César Cardoso*
    Em escandalosa manobra para cooptar parlamentares indecorosos, em troca de favores espúrios, Michel Temer conseguiu barrar a segunda denúncia na Câmara por 251 votos a 239, ou seja, 12 a menos dos conquistados na primeira acusação.

    “Quando os que comandam perdem a vergonha, os que obedecem perdem o respeito – Georg C. Lichtenberg”. Assim, não podemos respeitar um governo chafurdado em acusações.

    O alto grau de indecência política foi a tônica que norteou, por exemplo, os comentários dos parlamentares Beto Mansur (PRB-SP), Carlos Marun (PMDB-MS) e Dacísio Perondi (PMDB-RS), os quais, sem escrúpulo e respeito ao povo brasileiro, declararam abertamente que a cooptação de parlamentares, em troca de favores, para manter o mandato de Michel Temer, era uma questão fechada e que aqueles que traíssem o “acordo” sofreriam punição. Que vergonha!

    O pretexto de que o país não pode parar ou de que os resultados positivos da economia já são sentidos não são justificativas plausíveis para ser mantido no comando da nação alguém cuja conduta política ficou comprometida com as duas acusações da Procuradoria-Geral da República e acatadas pelo STF.

    Todos aqueles políticos que denigrem a imagem da nação deveriam ser defenestrados da vida pública. O país precisa ser passado a limpo. E essa corja política que blinda Lula, Dilma, Temer, Aécio etc. são os responsáveis pela continuação da corrupção no Brasil.

    Vamos respeitar pelo menos a memória de Rui Barbosa, político ilustre que honrou e não sujou o nome da República. Vejam a degradação política: (1) Michel Temer foi desmascarado vergonhosamente pelo corrupto empresário Joesley Batista, e as gravações estão aí como testemunhas oculares da história; (2) o doleiro Lúcio Funaro, recentemente, em seu depoimento, desnudou a vestal de Michel Temer; (3) o preposto de Michel Temer, o ex-deputado Rocha Loures, foi flagrado arrastando mala de dinheiro pelas ruas de São Paulo; (4) Aécio Neves, acusado no STF por corrupção passiva e obstrução da Justiça, recebeu vergonhosamente o salvo-conduto do Senado; (5) Lula e Dilma são arrolados substantivamente na Lava-Jato, inclusive o ex-presidente já foi condenado a nove anos e meio de prisão e caminha célere para a segunda condenação.

    Então, que organização criminosa política é essa que não respeita o povo brasileiro e tenta blindar elementos travestidos de políticos honrados, mas que não passam de impostores da República? Não podemos mais ser dominados pela macrodelinquência política aqui instalada. Por isso, o general Aragão e outros já deram o recado.

    *Bacharel em Direito e servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS