Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 21 de setembro de 2017

    Suicídio será debatido na Assembleia Legislativa dia 26 de setembro

    © Divulgação
    A deputada estadual Mara Caseiro (PSDB), em parceria com o deputado estadual Professor Rinaldo (PSDB), e o subsecretário de Estado de Políticas Públicas para a Juventude, Thiago Freitas, comandam no dia 26 de setembro, a partir das 14h, a audiência pública “Setembro Amarelo: Unidos na Prevenção ao Suicídio”, que acontece no plenário da Assembleia Legislativa.

    O debate foi motivado pelos altos índices de suicídios cometidos no Mato Grosso do Sul. O Estado é vice-líder no ranking nacional de suicídios entre jovens, com idades entre 15 e 29 anos. No mundo, a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio, conforme levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Para a deputada, que é membro da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa e autora da Lei 4.777/2015, que instituiu o Setembro Amarelo de Prevenção ao Suicídio no Estado, é de extrema importância falar a respeito do suicídio, que atinge principalmente os jovens entre 15 e 29 anos.

    “De cada dez pessoas que cometeram suicídio em MS, quatro são jovens, justamente o nosso público-alvo na conscientização. Vale lembrar que, para a OMS, de cada dez casos, nove poderiam ter sido evitados. A prevenção é a principal forma de impedir, e o apoio da família e dos amigos ajuda no diagnóstico e no tratamento", afirmou.

    Segundo o deputado Rinaldo, o foco da audiência é derrubar mitos e informar a população.

    “O tema suicídio ainda é tabu para a nossa sociedade. Os alarmantes índices de suicídios em Mato Grosso do Sul, nos despertou para a importância deste debate. O nosso foco com a audiência é derrubar os mitos e informar a população sobre como agir para evitar novas tragédias”, alertou o deputado.

    O subsecretário de juventude, Thiago Freitas diz que, a ideia da audiência é alertar a população sobre a gravidade do assunto, na tentativa de quebrar o tabu que existe sobre o suicídio. 

    “O suicídio tem como ser evitado! Quanto mais informação sobre o assunto, mais diálogo em casa e com os amigos, são vidas que deixamos de perder”, pontuou. 

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS