Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    29/09/2017

    PONTA PORÃ| Equipe de enfermagem do Hospital Regional de Ponta Porã faz curso de atualização em feridas

    © Divulgação
    A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do Hospital Dr. José de Simone Netto (Hospital Regional de Ponta Porã) ofereceu mais um curso de atualização aos enfermeiros, técnicos e auxiliares em enfermagem. Dessa vez o tema estudado foi Tratamento de feridas - com enfermeira e especialista em Dermatologia e assessora técnica da BSN Medical nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul, Camila da Rosa Janczura.

    As feridas são consideradas um problema grave, com alta incidência e prevalência mundial, e elevados índices nos custos financeiros das instituições, além da qualidade de vida prejudicada do paciente e complicações que podem ser graves, como infecções. Segundo a palestrante, a importância da qualificação no dia a dia dos profissionais da saúde do Hospital José de Simone é ter conhecimento para atender os pacientes com lesões, bem como pensar evitar as lesões que podem ser prevenidas.

    “Eles têm de ter conhecimento em relação às formas de prevenção e tratamento, curativos que existem no mercado, fatores que influenciam na cicatrização, relação de custo beneficio dos produtos existentes bem como relação de custo de prevenção e tratamento, saber avaliar a lesão (tipo de tecido, sinais e sintomas, etc.) e avaliar o paciente como um todo, inclusive nos aspectos emocionais e sociais”, afirma a enfermeira Camila Janczura.

    Tratar feridas faz parte da rotina hospitalar e exige da enfermagem muito cuidado e dedicação, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e nas clínicas médica, ortopédica, pediátrica e na maternidade essa realidade é diária. Na maternidade, por exemplo, as feridas e curativos mais tratados são as do tipo limpo e seco. Segundo o enfermeiro obstetra Gerson Maciel, esses procedimentos são feitos logo após a cirurgia de cesárea. “Nós orientamos corretamente a primeira higienização, que é feita com água e sabão pela própria gestante, e sempre com o monitoramento da equipe, pois, caso esse curativo apresente sinais de inflamações, nós comunicamos o médico para que possa examinar a paciente”, explica.

    Na clínica médica, as feridas mais tratadas são as de úlcera decúbito (úlceras de pressão, úlceras cutâneas) que são lesões decorrentes de carência do fluxo sanguíneo e irritações na pele e as feridas por ulcera venosa, que são feridas de difícil cicatrização provocadas pelo acúmulo de sangue nos membros inferiores e na ortopedia, as feridas mais comuns são as decorrentes de lesões pós-traumas com ou sem fraturas e também as pós-cirúrgicas.

    Trabalho integrado e valorização profissional

    O sistema de Educação Continuada no Hospital propicia o desenvolvimento de um trabalho cada vez mais integrado e ao colaborador, a oportunidade de obter conhecimentos e capacitação dentro do próprio ambiente de trabalho. A técnica em enfermagem da clínica ortopédica Maria Elena Soares conta que não perde as atualizações e cursos cedidos pelo Hospital. “Desde que esse trabalho começou a ser desenvolvido eu faço questão de participar, não é todos os dias que temos oportunidade de receber qualificação profissional de graça. E isso é muito bom para nós, pois, significa que vamos saber o jeito certo tratar cada paciente acolhido no Hospital”. 


    Fonte: ASSECOM
    Por: Leonardo Cremer


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS