Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 13 de setembro de 2017

    Assembleia dá ao Parque dos Poderes o nome de Pedro Pedrossian

    O Governo de Mato Grosso do Sul precisa sancionar projeto de lei para começar a valer

    Parque dos Poderes, em Campo Grande. (Foto: André Bittar/Arquivo).
    A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul aprovou, nesta quarta-feira, dia 13, o projeto de lei que dá ao Parque dos Poderes o nome do ex-governador do Estado, Pedro Pedrossian.

    A proposta foi aprovada em discussão única e segue para sanção do chefe do Executivo estadual, Reinaldo Azambuja (PSDB). Se ele validar a proposta, ficará o seguinte nome "Complexo do Parque dos Poderes Governador Pedro Pedrossian".

    O ex-governador faleceu aos 89 anos em 22 de agosto de 2017 depois de sofrer insuficiência respiratória. 

    Autor do projeto, o deputado Paulo Corrêa (PR), disse que "é justo" dar o nome ao Parque dos Poderes para o seu criador". "Uma homenagem que os deputados devem ao Pedrossian e à sua família". 

    Secretário de Estado de Habitação e Desenvolvimento Urbano no governo de Pedro, em 1991, o parlamentar disse ter se sentido honrado em apresentar tal projeto.

    O deputado Lídio Lopes (PEN) concordou com o gesto em respeito ao ex-governador, mas ponderou que os parlamentares revejam as demais propostas com intenção de colocar o nome dele em outras obras.

    A título de exemplo, há um projeto de lei para nomear Pedro Pedrossian a Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), campus de Campo Grande.

    O parlamentar entende que o ex-governador já recebeu homenagem em vida e outras pessoas que realizaram grandes feitos merecem ser lembrados também. Em Campo Grande, o Hospital Regional, o Estádio Morenão e um bairro recebem o nome de familiares de Pedrossian.

    História – Pedrossian foi governador por três vezes, de 1966 e 1971. Em 1980, foi nomeado para comandar Mato Grosso do Sul, posto que retomou em 1991, quando foi eleito nas urnas.

    Fonte: campograndenews
    Por: Mayara Bueno e Leonardo Rocha


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS