Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 4 de agosto de 2017

    Vereador Carlão apresenta PL reconhecendo Conselheiros Municipais criando Dia e Comenda Zilda Arns

    © Divulgação
    O vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), 1º Secretário da Mesa Diretora, apresentou nessa semana o Projeto de Resolução Legislativo, instituindo a comemoração ao Dia do Conselheiro de Políticas Públicas no Município de Campo Grande, a ser comemora anualmente, em sessão solene no 04 de Abril. Também apresentou Projeto de Resolução, instituindo a Medalha Legislativa Mérito Protagonismo Cidadão/Conselheiros – Comenda Zilda Arns da Cidade de Campo Grande.

    “A medalha será outorgada aos conselheiros municipais, gestores de políticas públicas, aos que tenham se destacado na formulação e controle da execução das políticas públicas Municipais. De todos os conselhos e daqueles que já se dedicaram a essa função, nas três instâncias de governo, federal, estadual e municipal. Essa medalha e a comemoração do Dia do Conselheiro demonstra reconhecimento do Poder Legislativo a todos os conselheiros que exercem o protagonismo no processo de consolidação da democracia”, justificou Carlão.

    Zilda Arns 

    Ao dar o nome da Comenda a Zilda Arns (1934-2010) médica pediatra e sanitarista, foi com o objetivo de reconhecer o trabalho desenvolvido por ela como fundadora (em 1983) da Pastoral da Criança. No início era só um grupo de voluntários do Paraná, com o objetivo de ajudar famílias pobres a evitar a mortalidade infantil com a disseminação do uso do soro caseiro. O trabalho começou na pequena cidade de Florestópolis, no Paraná. Zilda Arns à frente da Pastoral, ao longo de 25 anos, expandiu o programa que chegou a alcançar 72% do território Nacional, além de vinte países na América Latina, Ásia e África. O trabalho foi fundamental para reduzir a mortalidade infantil, levando Zilda Arns a receber três vezes a indicação ao Prêmio Nobel da Paz. Zilda Arns de forma voluntária acabou desenvolvendo uma política assistencial que até a sua morte, em janeiro de 2010, no terremoto do Haiti, coordenava 155 mil voluntários em mais de 32 mil comunidades pobres do Brasil.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Janaína Gaspar


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS