Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 8 de agosto de 2017

    Mais de mil cabeças de gado morrem em fazenda e suspeita é de botulismo

    Pecuarista teve prejuízo de mais de R$ 2 milhões com as mortes

    Agência Estadual de Defesa Sanitária e Animal (Iagro), suspeita da doença de botulismo © Divulgação
    Na tarde de ontem (7), 1.100 cabeças de gado morreram confinados na Fazenda Marca 7, localizada no município de Três Lagoas. Proprietário do rebanho teve prejuízo de mais de R$ 2 milhões.

    Segundo informações do Rural News, a Agência Estadual de Defesa Sanitária e Animal (Iagro), suspeita da doença de botulismo, mas resultado laboratorial realizado nos animais só será divulgado na semana que vem.

    Amostras da ração dos animais, que é produzida na própria fazenda, foram encaminhadas para análise no laboratório estadual. Os animais serão enterrados na própria fazenda, onde estavam confinados.

    A doença

    O botulismo ataca o sistema nervoso do animal provocando paralisia motora e o período de incubação é de sete a oito dias. A gravidade da doença está diretamente ligada à quantidade de toxinas que o animal ingere e pode ser dividida em quatro graus como, Super aguda, Aguda, Subaguda e Crônica. Os principais sintomas são anorexia, falta de coordenação e ataxia - perda do controle muscular durante movimentos voluntários. No ser humano, a doença também ataca o sistema nervoso, podendo levar a morte conforme a quantidade de toxina expelida pela bactéria.

    Fonte: CE
    Por: BRUNA AQUINO


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS