Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    19/07/2017

    Vizinhos do sítio onde ex-vereador e mulher foram mortos escutaram gritos

    Um dos suspeitos saindo da viatura na sede do Garras (Foto: divulgação/Batalhão de Choque)
    Os vizinhos do sitio onde o ex-vereador Cristóvão Silveira, 65 anos, e a esposa dele, Fátima Diniz Silveira, 56 anos, foram encontrados mortos a facadas, escutaram uma discussão e gritos, na tarde de ontem (18), na chácara Bem-te-vi, no km 24 da MS-080, no Bairro Aguão, na saída para Rochedo, em Campo Grande.

    Os suspeitos de ter cometido o crime - o caseiro, Rivelino Mangelo, 45 anos, e os dois filhos dele, Alberto Nunes Mangelo, 20 anos, e Rogério Nunes Mangelo, 19 anos . No entanto, a polícia faz buscas por mais dois envolvidos no assassinato.

    Hoje de manhã, os moradores do entorno da propriedade contaram que ficaram perplexos com a brutalidade do ocorrido.“A gente escutou gritos, mas parecia ser uma discussão e não um crime tão bárbaro”, lamenta uma vizinha que aceitou conversar com a reportagem sem ser identificada.

    O caseiro, o filho dele e um sobrinho, suspeitos pelo crime - foram presos pelas equipes do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e Batalhão de Choque. A ocorrência mobilizou também policiais de Corumbá e Anastácio. A caminhonete Triton L-200, de cor marrom, levada pelos criminosos, foi encontrada em Corumbá. No entanto, a polícia faz buscas por mais dois homens envolvidos no crime e que estão foragidos na do Pantanal.

    Premeditado 

    O casal segundo, vizinhos, morava há 6 meses no sitio. Lá, além do ex-vereador e a esposa dele, moravam o caseiro, a filha dele de 13 anos e a esposa deficiente física. O vereador e a mulher, encontrada nua e com parte das pernas queimadas, foram mortos com várias facadas. Além da menina, o caseiro tem mais três filhos. Todos, segundo a Polícia Civil são moradores do Jardim Noroeste e tem passagens pela polícia. A informação até agora é que apenas um dos filhos do caseiro teria participado.

    Crime 

    Por volta das 13h30, o caseiro pediu socorro dizendo que sete homens em um Fiat Uno haviam invadido a chácara e feito o patrão dele refém. Ele tinha escapado para buscar ajuda. Com o pé machucado, o caseiro foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) à Santa Casa. A equipe policial, então, foi até a propriedade e encontrou os dois corpos no galpão – usado para guardar objetos. Marcas de sangue foram encontrados também na casa do caseiro e das vítimas.

    Desconfiados da versão do caseiro, os policiais do Batalhão de Choque e civis foram até a unidade de saúde e apreenderam o celular dele. No aparelho, foram encontrados vários áudios em que o caseiro, o filho dele e o sobrinho planejavam o roubo do veículo. 

    Imediatamente, o caseiro foi preso e entregou os outros suspeitos que haviam seguido com a caminhonete para Anastácio, distante 135 quilômetros da Capital.
    Local onde os dois foram encontrados mortos (Foto: Rafael Ribeiro)

    Fonte: campograndenews
    por: Viviane Oliveira e Rafael Ribeiro
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS