Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 19 de julho de 2017

    Vizinhos da chácara onde ex-vereador foi assassinado se dizem chocados com crime

    Caseiro teria confessado autoria dos assassinatos

    © Divulgação
    Os vizinhos a chácara Bem Te Vi, onde o ex-vereador Cristóvão Silveira (PSDB) e sua esposa, Fátima Silveira foram assassinados, na noite desta terça-feira (18) se dizem chocados com o crime e com o caseiro ser o autor dos assassinatos.

    Uma agente de saúde de 32 anos, que não quis se identificar, contou ao Jornal Midiamax, que ficou chocada com o crime, “Fiquei espantada por que ele (ex-vereador) ajudava muito a família do caseiro e já tinha comprado até móveis para eles. A mulher dele (caseiro) é cadeirante”, fala a agente de saúde.

    Outros vizinhos afirmaram não ter visto nada e nem ouvido barulhos na noite do crime, que pudesse indicar que estava acontecendo alguma coisa no local. O ex-vereador teria comprado o local a apenas seis meses.

    A morte

    O casal foi assassinado na noite desta terça-feira (18), na chácara Bem Te Vi, na MS-080. Eles foram mortos a facadas e a esposa do ex-vereador teve o corpo parcialmente queimado para cobrir possíveis rastros de estupro.

    © Reprodução
    Eles foram mortos por volta das 20 horas, e o caseiro teria assumido a autoria do crime. O filho dele ajudou no assassinato. Duas pessoas, ainda não identificadas, fugiram com a camionete do ex-vereador que foi abandonada no Lampião Aceso, próximo a Corumbá distante 444 quilômetros de Campo Grande. Eles fugiram em meio a um matagal.

    O crime teria acontecido após uma discussão entre o caseiro e Silveira. O ex-vereador foi morto com golpes de facão e teve o rosto desfigurado, já a esposa teve o corpo parcialmente queimado.

    Prisões

    Quatro suspeitos de envolvimento na morte do ex-vereador e sua esposa foram presos. Dois deles, o caseiro e o filho, foram localizados em Anastácio, a 140 quilômetros de Campo Grande, por equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) e do Batalhão de Choque.

    Os outros dois suspeitos, ainda não identificados, foram flagrados na rodovia enquanto tentavam levar a caminhonete para a Bolívia. O carro foi abandonado e eles fugiram em meio a um matagal.

    Fonte: Midiamax
    Por: Thatiana Melo e Arlindo Florentino
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS