Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 20 de abril de 2017

    Operação Tiradentes é antecipada pela PM e se concentra na região sul

    Rondas com helicóptero deveria começar na sexta-feira, mas foram antecipadas para a noite desta quinta-feira em Campo Grande

    Policiamento aéreo vai reforçar trabalho de segurança pública a partir dessa operação © Divulgação
    A região sul de Campo Grande vai concentrar as primeiras rondas e diligências policiais da "Megaoperação Tiradentes", que começa na noite desta quinta-feira (20). A previsão era de que os trabalhos fossem iniciados nesta sexta-feira (21), mas foram antecipados para a véspera do feriado.

    O primeiro dia foi marcado pelo patrulhamento teste realizado pelo GPA (Grupamento de Policiamento Aéreo) durante a tarde de hoje, fazendo um sobrevoo de helicóptero no Jardim Los Angeles e no entorno do presídio da Gameleira.

    Depois, a rota seguida foi o entorno da avenida dos Cafezais e o bairro Parati. A aterrissagem da aeronave policial aconteceu na rua da Divisão, as equipes seguiram fazendo patrulhamento preventivo pela região sul por terra e no ar.

    "O sobrevoo preventivo acompanha a viaturas pelas regiões com um índice de violência mais acentuado e com pousos em áreas de grande fluxo de pessoas, por exemplo. Hoje estaremos pela região sul, mas este vai passar a ser um procedimento comum", comenta o comandante da GPA, tenente-coronel Rosalino Gimenez Filho.

    Ao todo a aeronave tem dois pilotos e dez tripulantes. Na Capital o efetivo envolvido na operação reúne 400 agentes e 50 viaturas. No Interior a operação mil policiais envolvidos.

    Policiamento aéreo 

    A grande novidade da PM (Polícia Militar) e o GPA, que fará a patrulha pelo ar. Ao todo, 23 policiais militares integrarão o grupamento, entre pilotos, técnicos em manutenção e operacionais. Outros 220 PMs fizeram treinamento com o Grupamento para aperfeiçoar as técnicas de policiamento conjunto, entre aéreo e terra.

    A aeronave da PM, que ainda não teve um nome adotado, foi comprada em 2014, na gestão de André Puccinelli (PMDB), por R$ 6,6 milhões, com verba cedida pela Senasp (Secretaria Nacional da Segurança Pública). O custo para manter o GPA não foi revelado, enquanto que o valor mensal de manutenção mensal do helicóptero será de R$ 35 mil.

    Fonte: campograndenews
    Por: Nyelder Rodrigues
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS