Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

    Senai certifica outros 221 alunos de 10 cursos em 5 cidades do Estado

    Divulgação

    Dando continuidade à certificação de 1.087 alunos de 35 cursos de educação profissional em 11 cidades do Estado ao longo desta semana, o Senai promoveu, nesta quarta-feira (30/11), as solenidades de formatura de mais 221 alunos de 10 cursos distribuídos pelos municípios de Campo Grande, Corumbá, Ivinhema, Maracaju e Sonora.

    Até a próxima sexta-feira (02/12), mais 524 alunos serão certificados em Aparecida do Taboado, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Naviraí, Nova Andradina e Rio Verde. “As formaturas encerram um ciclo de cursos que tiveram a conclusão no último quadrimestre deste ano, nas modalidades de qualificação profissional básica e habilitação profissional técnica de nível médio. Agora, as unidades do Senai prosseguem com a oferta de mais cursos e a abertura de novas turmas. Podemos comemorar a disponibilização de mais de mil profissionais qualificados para o mercado de trabalho neste fim de ano”, afirmou o diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero.

    Campo Grande

    Na Capital, o Senai certificou 37 alunos do curso de costureiro sob medida e 21 alunos do curso de modelista de roupas. Para 2º vice-presidente da Fiems e presidente do Sindivest/MS (Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Vestuário, Tecelagem e Fiação do Estado), José Francisco Veloso Ribeiro, a disponibilização desses 48 profissionais no mercado de trabalho de Campo Grande vai auxiliar as empresas a desenvolverem a produção. “O Sindivest recebe uma lista de profissionais qualificados pelo Senai e disponibiliza às indústrias de acordo com a localização e as necessidades apresentadas”, pontuou.

    O diretor da Fiems e presidente do Simemae/MS (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Mato Grosso do Sul), Irineu Milanesi, participou da solenidade e destacou o papel de referência desenvolvido pelo Senai no Estado. “A instituição é reconhecida mundialmente porque evoluiu de acordo com as necessidades do mercado, diversificou suas atividades tornando-se uma aliada do empresário e do trabalhador que faz questão de se qualificar”, disse.

    Já o gerente do Senai de Campo Grande, Marcos Costa, classificou a formatura como um momento de alegria e celebração, mas também de incentivo para a busca de uma colocação no mercado de trabalho. “O Senai só considera sua missão como cumprida a partir do momento que verifica a inserção de seus alunos no mercado. Isso é essencial para a instituição”, afirmou.

    Uma das formandas do curso de modelista de roupas, Lizete Medeiros de Souza, de 55 anos, contou que decidiu encarar a capacitação mesmo atuando há anos no segmento do vestuário. “Além da importância da certificação, o curso me apresentou muitas novidades, vários aspectos que eu desconhecia”, comentou.

    Já Adriele Angelica dos Santos, de 17 anos, formanda do curso de costureiro sob medida, destacou-se tanto durante a qualificação que foi a oradora da turma. “Eu sempre gostei de customizar roupas e acabei percebendo que, com a customização, vem a necessidade de ajustar as peças. Por isso decidi fazer o curso”, afirmou.

    Durante a solenidade, Adriele dos Santos e mais quatro colegas de outros cursos do Senai voltados para o segmento do vestuário foram reconhecidos pela participação na Olimpíada do Conhecimento, ocasião em que foram premiados com a medalha de prata pela criação de roupas voltadas para pessoas com deficiência.

    Corumbá

    No terceiro dia de formaturas em Corumbá, o Senai certificou mais 54 alunos do curso de almoxarife, sendo que até sexta-feira (02/12) 234 alunos de 10 cursos terão sido certificados. Para o gerente do Senai de Corumbá, Marcelo Alexandre Zinsly, a solenidade marcou a finalização de um trabalho desenvolvido durante meses e que, mais do que qualificar, confere aos alunos uma nova profissão. “Sabemos do valor de uma qualificação para concorrer a uma vaga de emprego e espero que os concluintes consigam estas vagas”, ressaltou.

    Abraão dos Santos Tornaciole, um dos formandos, já trabalha como auxiliar de serviços gerais e decidiu fazer o curso por almejar uma melhor colocação no mercado de trabalho. “Eu penso em oferecer melhores condições de vida para a minha esposa e para o meu filho, e enxergo o curso do Senai como uma ferramenta para isso”.

    Klayton da Silva Sampaio Ribeiro Dias também concluiu o curso de almoxarife com o único objetivo de ter um futuro melhor. “O empenho dos professores é admirável e fez toda a diferença para que eu conseguisse concluir essa empreitada. Também faço questão de ressaltar que tudo isso só é possível graças ao Senai, que nos oferece a possibilidade de qualificação profissional”, pontuou.

    Ivinhema

    Em Ivinhema, o Senai certificou 26 alunos que fizeram, simultaneamente, os cursos de operador de processos na indústria sucroenergética e operador de processos químicos, 17 alunos do curso técnico em açúcar e álcool e 11 alunos do curso técnico em manutenção automotiva. Para a coordenadora pedagógica da agência do Senai de Ivinhema, Taís Caetano Gimenez, a formação vai contribuir para o crescimento da indústria local. “Ivinhema ainda é uma cidade prioritariamente rural, mas a influência de uma grande empresa do setor sucroenergético nos leva a priorizar cursos na área. Para o Senai é uma grande honra ver esses alunos formados e, em muitos casos, já inseridos em indústrias locais”, disse.

    Matheus Abner da Silva Santos, técnico em açúcar e álcool, declarou que, com a qualidade do curso oferecido e o bom desempenho apresentado durante as aulas, almeja uma boa colocação no mercado de trabalho. “Mas, sobretudo, quero apresentar um bom desenvolvimento na empresa em que eu for trabalhar. Aprendi muito nesses dois anos e quero poder mostrar isso na prática”, declarou.

    Gustavo Souza Barboza, formando do curso técnico em manutenção automotiva, contou que espera, com o curso, alcançar melhores posições no mercado de trabalho. “Grandes empresas exigem essa qualificação para o cargo de gestor ou encarregado. Já obtive melhorias graças ao curso, inclusive aumento salarial. Mas quero melhorar ainda mais, vou fazer faculdade de engenharia mecânica e tudo partiu daqui, começou aqui no Senai”, falou.

    Maracaju

    No município de Maracaju, foram certificados 32 alunos do curso de assistente de contabilidade e 22 alunos do curso de mecânico de máquinas agrícolas. Para o gerente do Senai de Maracaju, Antônio Carlos de Campos Faria, o município é tão beneficiado quanto os alunos com a certificação. “Hoje a gente escuta falar muito sobre a crise e a melhor oportunidade para que a possamos sair dela é justamente formando profissionais. Um profissional formado tem melhores chances no mercado de trabalho e as empresas estão buscando profissionais cada vez mais capacitados”, declarou.

    Ana Caroline Mendes, formanda no curso de assistente de contabilidade, contou que, mesmo empregada, a capacitação a auxiliou no sentido de incrementar o currículo. “Tenho certeza que o diploma vai abrir novas portas no mercado de trabalho. Os cursos que o Senai oferece para a comunidade garantem a oportunidade de se especializar em algo, isso é muito importante para o desenvolvimento local”, frisou.

    Hugo Pereira da Silva, formando no curso de mecânico de máquinas agrícolas, elogiou a equipe de docentes do Senai e contou que se sente privilegiado por ter tido a oportunidade de se qualificar na área em que trabalha. “Aprendi muitas coisas que desconhecia, tirei muitas dúvidas. A intenção é melhorar cada vez mais e crescer profissionalmente na área”, contou.

    Sonora

    Em Sonora, o Senai certificou 14 alunos do curso de operador de computador, 9 alunos do curso de auxiliar de laboratório de microbiologia e 6 alunos do curso técnico em segurança do trabalho. Segundo Valter Costa de Almeida, gerente da agência do Senai de Sonora, o curso técnico tem carga horária de 1.600 horas/aula e os dois cursos de qualificação tem carga horária de 200 horas/aula. “Sem dúvida, estamos disponibilizando profissionais bem qualificados para o mercado de trabalho do município”, disse.

    Renata Marques de Oliveira, de 20 anos, acabou de concluir o curso técnico em segurança do trabalho e contou que buscou a capacitação por gostar de estudar legislação trabalhista. “Agora pretendo trabalhar com isso, especialmente porque abrange diversas áreas e estimula nossa comunicabilidade. O curso superou as minhas expectativas, foi muito proveitoso e um ponto a se destacar é a qualidade e eficiência dos instrutores”, frisou.

    Já Helani Teles da Silva Feitosa, auxiliar de laboratório de microbiologia, está empolgada com a ideia de poder trabalhar na área laboratorial. “Meu sonho é trabalhar nessa área e vou lutar por isso. Essa certificação era o que eu precisava para correr atrás desse sonho”, finalizou.







    Fonte: ASSECOM
    Por: Daniel Pedra
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS