Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 18 de outubro de 2016

    João Grandão homenageia professores e bancários de MS na Assembleia

    deputado estadual João Grandão (PT/MS) - Divulgação

    Nesta terça-feira (18) o deputado estadual João Grandão (PT/MS) utilizou o pequeno expediente da Assembleia Legislativa para homenagear os professores e bancários do Estado.

    Na primeira sessão parlamentar posterior ao Dia do Professor, celebrado em 15 de outubro, o deputado apresentou Moção de Congratulação pela data ao professor Roberto Magno Botareli Cesar, presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS).

    O parlamentar aproveitou a oportunidade para também enviar Moção de Congratulação ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Dourados (SIMTED-Dourados) na pessoa da presidenta e professora Gleice Jane Barbosa.

    “Essas moções são extensíveis a todos os professores e professoras do nosso Estado e representam uma forma de expressar e oficializar perante esta Casa de Leis o nosso reconhecimento a estes que dedicam suas vidas para a construção de um futuro melhor”, salientou Grandão, que é professor concursado da rede pública de ensino.

    Bancários

    Para o deputado, a categoria de bancários também merece aplausos por ter, segundo ele, conduzido com brilhantismo uma paralisação nacional cujas negociações resultaram em êxito para toda a categoria, com 8% de reajuste, abono de R$ 3,5 mil, elevação de 15% no vale-alimentação, de 10% no auxílio creche/babá, entre outros benefícios.

    Motivo que levou o parlamentar a encaminhar também na sessão desta terça outras duas moções: uma ao presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região, Edvaldo Franco Barros; e outra ao presidente do Sindicato dos Bancários de Dourados e Região de MS, Ronaldo Ferreira Ramos, extensíveis às diretorias.

    Segundo Grandão, deixar os clientes e correntistas dos bancos privados de serviços por 31 dias é algo no mínimo desagradável, mas que não pode ser colocado na conta dos trabalhadores.

    “Essa greve provou que os clientes precisam tanto dos trabalhadores quando os trabalhadores precisam dos seus empregos com condições dignas e justas”, afirmou ele, que lembrou que somente entre janeiro e julho de 2016 quase 8 mil empregos bancários foram extintos nos bancos brasileiros, resultando em sobrecarga de trabalho nas agências, mais filas e queda na qualidade de atendimento à população.

    “Em contrapartida, os bancos, que juntos lucraram R$ 30 bilhões somente nos seis primeiros meses deste ano, insistiram em pagar um aumento muito abaixo da inflação, o que fez com que essa greve durasse todo esse tempo. Mas, no final das contas, a vitória foi do trabalhador e da democracia! Provamos que unidos podemos fazer nossos direitos”. 




    Fonte: ASSECOM
    Por: Daniel Machado

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS