Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 14 de setembro de 2016

    Investigação de sequestro 'estranho' na saída de bar recomeça do zero

    Caso chegou à delegacia especializada

    (Foto: Henrique Kawaminami)

    No fim da tarde de terça-feira (13), o caso de roubo e sequestro de uma estudante de 23 anos, que ocorreu na madrugada do último sábado (10), chegou até a delegacia que tocará as investigações. O caso será retomado desde o início e a vítima deve ainda nesta semana prestar depoimento.

    O delegado Gustavo Ferraris, da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), recebeu o boletim de ocorrência registrado no dia do crime e, até então, único documento válido com depoimento da vítima. Outras declarações dadas à fontes não ligadas a polícia ou que não estejam em 'papel assinado', não devem interferir nas investigações.
    (Foto: Henrique Kawaminami)

    Segundo o delegado Ferraris, ainda nesta semana a vítima deve ser ouvida, para tentar reconstruir o que aconteceu no dia do crime. Não há informação de que ela tenha prestado mais de um depoimento à polícia e o único documento entregue à Defurv tem o primeiro relato da jovem à equipe da Polícia Militar que atendeu a ocorrência no dia. A polícia também deve analisar imagens de câmeras de segurança da região onde o caso aconteceu, para entender melhor os fatos e também buscar pelos envolvidos.

    Até o momento, o caso é tratado como roubo qualificado com restrição de liberdade da vítima e dano qualificado. Há suspeita que o carro da estudante tenha sido incendiado como forma de os criminosos destruírem indícios e pistas, mas até agora a polícia não tem provas concretas do que realmente aconteceu.

    Relembre o caso

    A estudante afirmou à Polícia Militar saía de uma festa no 21 Bar e Lazer, localizado próximo à avenida Ceará, quando dois criminosos a obrigaram a entrar no carro, um Fiat Pálio, e sentar no banco do passageiro.

    Em seguida, eles começaram a rodar pela cidade e sem saber ao certo se estavam realmente armados, já que ela não consegue se recordar de nenhuma arma, a vítima começou a mexer no câmbio para tentar dificultar a ação, no que os homens se irritaram e prenderam a jovem no porta-malas do carro. Após algum tempo, ela conseguiu abrir o bagageiro, mas os homens perceberam e a prenderam novamente.
    (Foto: Henrique Kawaminami)

    Então pela segunda vez, a vítima conseguiu abrir o compartimento e chegou a entrar em luta corporal com os bandidos quando eles tentaram segurá-la de novo, e na confusão ela mordeu a mão de um deles, conseguiu correr e fugir. A estudante pediu ajuda a um casal que passava na rua e os homens sumiram com o carro, o celular e os pertences pessoais da vítima.

    Horas depois, o carro da moça foi encontrado carbonizado, próximo ao Cedesc da Funlec, na Rua Água Azul, próximo também à Uniderp Agrárias. A frente do carro estava danificada com o capô amassado, mas a polícia não disse se os bandidos bateram o carro, que deve passar por perícia.



    fonte: Midiamax
    Por: Renata Portela
    Link original: http://www.midiamax.com.br/policia/investigacao-sequestro-saida-bar-campo-grande-recomeca-zero-315483

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS