Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 29 de julho de 2016

    Temer se diz 'preparadíssimo' para receber vaia na abertura da Olimpíada

    Presidente em exercício concedeu entrevista ao Grupo RBS, do RS. Ele afirmou que tem que cumprir 'dever institucional' de estar presente.

    Foto: Beto Barata/Arquivo

    O presidente em exercício Michel Temer afirmou nesta sexta-feira (29), em entrevista ao Grupo RBS, do Rio Grande do Sul, que está “preparadíssimo” para ser vaiado na abertura da Olimpíada. Segundo reportagem publicada no site do jornal do gaúcho Zero Hora, Temer disse que tem de cumprir o “dever institucional” de estar presente no evento.

    “Estou preparadíssimo para as vaias. No Maracanã, como dizia o Nelson Rodrigues, se vaia até minuto de silêncio. Estou preparadíssimo, não tenho a menor dúvida disso. E tenho de cumprir esse dever institucional. Aliás, eu soube que os ex-presidentes nem vão. A brincadeira é que eles estão reservando as vaias só para o presidente”, afirmou Temer.

    A presidente afastada Dilma Rousseff foi alvo de vaias e xingamentos durante a abertura da Copa das Confederações, em 2013, e da Copa do Mundo, em 2014.

    Com o governo interino de Michel Temer, a expectativa no Palácio do Planalto é que o presidente em exercício faça uma declaração protocolar de abertura dos Jogos Olímpicos, no próximo dia 5. De acordo com a reportagem do jornal, Temer disse acreditar que a imagem do país não será afetada pelo fato de estar tramitando no Senado processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

    Temer também comentou os preparação das forças de segurança para conter ameaças de ataque terrorista. “Antes dos jogos mundiais (Copa do Mundo de 2014), também havia a mesma preocupação, e foi um sucesso. Espero que na Olimpíada aconteça o mesmo”, afirmou o presidente em exercício.

    Na entrevista, Temer também defendeu as ações recentes da Polícia Federal, que prendeu 12 suspeitos de ligação com terrorismo. Ele comentou o caso do homem preso no interior do Rio Grande do Sul, que, segundo a família era criador e vendedor de galinhas e usava o celular e a internet para negociar as aves. Segundo a PF, ele trocou mensagens com integrantes de um grupo que estaria planejando um ataque terrorista durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

    "Pode ser até que esse criador de galinhas só cuide de galinhas, mas pelo WhatsApp, se comunicava com companheiros. A prisão é temporária, apenas para prevenir, não significa que ele vai ficar preso eternamente. Como a segurança é rigorosa com essas coisas, é melhor prevenir do que remediar.


    Do G1, em Brasília

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS