Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 18 de julho de 2016

    PONTA PORÃ| “Princesinha dos Ervais”, comemora 104 anos nesta segunda

    Município na fronteira com o Paraguai tem 85 mil habitantes e com economia diretamente ligada ao comércio de Pedro Juan Caballero

    Monumento com cuia de chimarrão e outra de tereré na entrada de Ponta Porã (Foto: Lucho Rocha)

    Município de 85 mil habitantes localizado a 323 km de Campo Grande, Ponta Porã comemora hoje (18) 104 anos de emancipação. Com sua história ligada diretamente à vizinha Pedro Juan Caballero, no Paraguai, a cidade sul-mato-grossense é conhecida como “Princesinha dos Ervais” devido à forte influência econômica e cultural que a erva-mate teve nas primeiras décadas de fundação do município.

    Hoje é feriado na cidade. A programação cultural do aniversário inclui show gratuito com o trio Hermanos Irmãos, no centro de convenções internacional.

    O show “Por América” é realizado pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) com apoio da prefeitura e da Fundação de Cultura de Ponta Porã. O trio é formado por Jerry Espíndola, Márcio De Camillo e Rodrigo Teixeira.

    História ligada à erva-mate 

    O Monumento das Cuias, na entrada da cidade pela BR-463, simboliza a importância da erva-mate para a região. Com uma cuia de tererê, mate gelado típico do Paraguai, e uma cuia de chimarrão, bebida tradicional dos gaúchos, o monumento representa a fusão das culturas.
    Linha de fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero (Foto: Divulgação)

    De acordo com estudiosos da história de Mato Grosso do Sul, assim como Pedro Juan Caballero, Ponta Porã surgiu no entorno da laguna (lagoa) Punta Porã, que fica no lado paraguaio da fronteira e era ponto de descanso dos carreteiros que circulavam pela região.

    Sacha Cardona, escritor, professor e historiador autor do livro A Las Sombras De Los Perobales - História del Poblado de Punta Porã" (2008), afirma que as duas cidades cresceram juntas, e de tal forma se desenvolveram. “Cada qual possui sua história, mas ambas possui uma forte integração econômica e social, valorizada por ambas as comunidades”.

    Apesar de ficarem em países diferentes, as duas cidades possuem forte integração, principalmente cultural e econômica, já que Ponta Porã também depende do movimento do comércio do lado paraguaio, já que os turistas brasileiros que vêm para a região também gastam na cidade brasileira, principalmente em hotéis e restaurantes.

    O Centro Comercial da Fronteira "União de dois Povos", construído com recursos da União Europeia na Praça Lício Borralho, foi inaugurado em 2012 para simbolizar a integração das duas cidades.

    Turismo acadêmico 

    Com a alta do dólar no Brasil, que espantou os compradores, Ponta Porã e Pedro Juan Caballero se beneficiam atualmente de outra forma de turismo, o acadêmico. São pelo menos seis mil estudantes de medicina frequentando sete faculdades do lado paraguaio, segundo o presidente do Convention Visitors & Bureau de Ponta Porã, Anderson Carpes.

    A maioria dos universitários que estudam em Pedro Juan mora em Ponta Porã e segundo Carpes, eles ajudam a movimentar a economia local, já que permanecem na região por pelo menos seis anos – tempo que dura o curso de medicina, que depois tem que ser revalidado pelo governo brasileiro.

    Em Ponta Porã, existe campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), uma unidade da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul), com pelo menos dois mil estudantes matriculados.

    Economia 

    Com sua formação econômica ligada à produção e comércio da erva-mate, Ponta Porã ainda depende diretamente das atividades ligadas ao setor rural, mas de forma mais moderna e tecnológica.

    As lavouras de soja, milho e pastagens ocupadas por gado ainda existem, mas a cana de açúcar já ocupa boa parte dos campos de Ponta Porã. O município conta com uma usina da Bunge, instalada em 2007.

    Na área urbana, segundo os empresários locais, os setores imobiliário e de serviços continuam se expandindo em Ponta Porã. A venda de imóveis aumentou nos últimos dez anos, principalmente para atender os estudantes de medicina.

    Conforme as entidades que representam os setores comerciais das duas cidades, pelo menos dez mil pessoas estão envolvidas com o ensino superior de medicina em Pedro Juan e isso reflete diretamente em Ponta Porã.

    No setor de gastronomia, o número de bares, restaurantes e lanchonetes quase dobrou em uma década.



    Fonte: campograndnews
    Por: Helio de Freitas, de Dourados
    Link original: http://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/-princesinha-dos-ervais-ponta-pora-comemora-104-anos-nesta-segunda

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS