Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 15 de julho de 2016

    MEIO AMBIENTE| Águas Guariroba e Instituto Arara Azul instalam 10 ninhos em estação da Capital

    Divulgação

    A maior estação de tratamento de água de Campo Grande ganhou dez ninhos artificiais de araras. Através de um convênio firmado entre a Águas Guariroba e o Instituto Arara Azul, o Projeto Aves Urbanas – Araras na Cidade vai pesquisar e monitorar os ninhos instalados na área da ETA Guariroba, na Capital. O objetivo é resgatar a biodiversidade local fomentando a reprodução de espécies de araras-canindé e araras vermelhas.
    Divulgação

    Presidente do Instituto Arara Azul, Neiva Guedes destaca que a parceria com a Águas Guariroba é valiosa porque possibilita a ampliação de um projeto voltado para a preservação do meio ambiente na Capital. “Isso concretiza os nossos sonhos de possibilitar o aumento da biodiversidade na cidade. Já somos privilegiados em Campo Grande de ter uma rica biodiversidade, e a gente gostaria que isso se mantivesse e até aumentasse. Ter a Águas Guariroba como parceira e expandindo isso é a realização de um sonho”.
    Divulgação

    José João Fonseca, presidente da Águas Guariroba, explica que a concessionária tem o compromisso de realizar ações que contribuam para a preservação ambiental. “A arara é um símbolo de Mato Grosso do Sul. Nós temos áreas verdes, parques, temos um viveiro de mudas, então nada melhor do que coroar tudo isso tendo uma reprodução de arara dentro das nossas unidades. É uma satisfação muito grande para nós. Já convivemos relativamente muito próximos das araras, então se a gente realmente conseguir fazer com que esse programa dê certo, nós vamos realmente trabalhar ao lado das araras”, comentou.

    Aves Urbanas

    De acordo com o biólogo do Instituto Arara Azul, Edson Diniz, o projeto Aves Urbanas – Araras da Cidade é uma ação experimental para atrair espécies de arara-canindé e arara vermelha até a área da estação de tratamento de água.

    “Instalamos ninhos diferentes em áreas diferentes. É um teste para verificarmos qual ocupa mais, qual é a incidência de ninho que vai ser ocupado melhor, mas acreditamos sim que há a probabilidade de ocupação das espécies”, avalia o biólogo. “A intenção de instalar ninhos em árvores, por exemplo, é atrair as araras vermelhas. Elas são um pouco restritas, não gostam de áreas muito abertas, provavelmente irão preferir um que tenha folhas em volta, protegendo a boca daquele ninho”, explicou.

    Adote um ninho

    A Águas Guariroba firmou a primeira parceria com o Instituto Arara Azul em 2014, por meio da campanha Adote um ninho. A ação tem o objetivo de arrecadar recursos e dar visibilidade à importância da preservação da espécie no Pantanal. Dois ninhos já foram adotados pela Águas Guariroba, incentivando a reprodução de araras azuis em seu habitat natural. A parceria rendeu dois “afilhados” para a concessionária, são filhotes de araras que nasceram nos ninhos adotados pela empresa.
    Divulgação

    A arara azul já figurou na lista de espécies ameaçadas de extinção no início dos anos de 1990, quando a pesquisadora Neiva Guedes, criadora do projeto e presidente do Instituto Arara Azul, deu início ao seu trabalho de pesquisa e conservação da ave no Pantanal. Hoje já são registradas mais de cinco mil aves da espécie na fauna pantaneira.



    Fonte: ASSECOM
    Por: Rogério Valdez

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS