Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    19/12/2018

    Três carros encontrados incendiados em rodovia de MS foram usados em atentados no Paraguai, diz polícia

    Polícia suspeita que ação envolvendo 30 criminosos em Ypehú, no Paraguai, seja por "guerra de facções" pelo domínio do tráfico na região.

    Carro incendiado em Paranhos (MS) foi usado na fuga dos criminosos de Ypehú, no Paraguai ©Polícia Civil de Paranhos/Divulgação
    Três carros foram encontrados incendiados e bloqueando a rodovia em Paranhos (MS), cidade próxima a Ypehú, no Paraguai, onde na madrugada desta quarta-feira (19), 30 pessoas armadas de fuzis e granadas incendiaram 3 casas e uma loja de carros.

    Segundo o delegado de Paranhos, Edgard Punsky, os 3 carros foram utilizados na ação no Paraguai: "Os carros fizeram sim, parte do atentado, e provavelmente foram usados na fuga dos bandidos", comentou. A polícia do Paraguai informou ao G1 que os criminosos chegaram a Ypehú em cinco caminhonetes.

    As investigações sobre o tiroteio serão conduzidas pela polícia paraguaia: "O tiroteiro foi na cidade gêmea a Paranhos, em solo paraguaio. Do lado brasileiro, solicitamos perícia e vamos investigar a origem desses 3 carros", afirma Punsky.

    Segundo o delegado de Paranhos, assim como afirmou vice-ministro do Interior do Paraguai, Hugo Sosa Pasmor, a polícia brasileira suspeita que a ação seja "mais um episódio da guerra entre facções criminosas pelo domínio do tráfico na região", uma questão que tem preocupado autoridades brasileiras e paraguaias da região de fronteira. Só este ano, em Ponta Porã (MS) cidade vizinha de Pedro Juan Caballero, Paraguai, foram 30 execuções.

    "Ponta Porã é uma das cidades mais atingidas, mas o problema é muito mais amplo. Cidades como Aral Moreira, Coronel Sapucaia e Paranhos, sofrem da mesma forma", comenta o delegado.

    A ação dos criminosos

    Segundo a polícia paraguaia, o grupo de 30 pessoas armadas com fuzis e granadas invadiram três casas e explodiram bombas para incendiá-las.

    Em uma das casas invadidas, os criminosos renderam duas mulheres e um bebê de 6 meses. Uma delas é da família de Alderete – que, como disse o governo, tem mandado internacional de prisão por homicídio. Segundo a polícia, os três foram levados a uma praça no bairro enquanto o grupo incendiava a casa. Todos foram liberados em seguida, sem ferimentos.

    Segundo o Bom Dia MS, o som dos disparos foram ouvidos pelos moradores de Paranhos, município sul-matogrossense com cerca de 12 mil moradores. A cidade brasileira é separada de Ypehú – cidade com pouco mais de 7 mil moradores – apenas por uma estrada.

    Segundo a polícia, ninguém se feriu.

    Por G1MS — Campo Grande



    Imprimir