Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    16/12/2018

    Projeto de extensão da Faculdade Estácio de Campo Grande transforma a vida de centenas de pessoas

    400 pessoas da comunidade foram atendidas de graça em 2018

    ©DIVULGAÇÃO
    O resultado do balanço superou as expectativas em 2018. 400 pessoas foram atendidas por profissionais e acadêmicos dos cursos de Fisioterapia e Direito da Faculdade Estácio na capital. Os atendimentos são oferecidos de graça para a comunidade pelo NPJ, Núcleo de Prática Jurídica que tem como requisito essencial que o cliente não exceda 3 (três) salários mínimos em seu holerite. E através do CRELAME, o Centro de Reabilitação de Lesados Medulares com a fisioterapia. 

    “Graças a eles eu consegui minha evolução” ressaltou o ex- boxeador de 27 anos. Lucas Ramão ficou paraplégico ano passado depois de um acidente de moto. Foram 17 dias em coma e 3 cirurgias. Quando foi liberado para ir para casa pelos médicos, ele precisou de reabilitação motora. Depois de pagar atendimento particular, conseguiu com muita alegria, a vaga no Centro de Reabilitação de Lesados Medulares. “A preparação técnica deles foi excelente. 3 horas de fisioterapia, duas vezes por semana em seis meses e agora estou de alta. “Agora para me parar, é só nosso Deus”. Lucas recebeu alta da CRELAME há poucos dias. Com apoio da esposa está fazendo aulas de canoagem e voltou a praticar musculação. 

    O coordenador do curso de Fisioterapia da Estácio, Leandro Hübner diz que é um grande aprendizado trabalhar com os pacientes no Crelame. “Cada paciente nos dá uma lição de vida”. Tenho um prazer enorme em ver a evolução dos pacientes e na formação dos alunos.” A diferença de atender as pessoas da comunidade é possibilidade de ajudar quem realmente tem precisa. “Percebo que os mais carentes têm uma recuperação mais rápida, pela necessidade de autonomia”, afirma Leandro.
    ©DIVULGAÇÃO
    Só na fisioterapia foram 180 atendimentos este ano. Já o balanço realizado pelo Núcleo de Prática Jurídicas (NPJ), reflete o trabalho que a Faculdade de Direito Estácio de Sá de Campo Grande vem fazendo pela comunidade. Foram 250 atendimentos gratuitos à população e atualmente tem 140 processos em trâmite. A meta de 2019 é atingir mil atendimentos em toda comunidade local.

    O Coordenador do NPJ, Guilherme Suriano Ourives diz que Acredita que o núcleo destinado a comunidade carente local, propicia a sociedade uma ferramenta de grande utilidade para a solução de conflitos sociais, seja ela de baixa ou alta complexidade, instruindo de maneira consultiva ou técnica seus clientes. “O trabalho do núcleo é muito relevante, seja prestar um serviço de interesse público à comunidade, bem como ensinar os nossos alunos a arte da advocacia, uma vez que aprenderam sua teoria no curso de Direito”.

    Seu Francisco Silva procurou o núcleo em março deste ano, um mês depois a ação já estava correndo na justiça. “Fui muito bem atendido, foi rápido e não paguei nada” enfatizou Francisco. E para o ano que vem as atividades continuam. Os atendimentos precisam apenas ser agendados através do telefone: (67)3348-8826 ou no próprio campus da faculdade. “No projeto de extensão, o aluno tem a oportunidade de praticar o que aprenderam em sala de aula e tem a mão dupla do atendimento à comunidade e o viés educacional” informou a Diretora Geral da Faculdade Estácio de Campo Grande, Danieli Biacio.
    ©DIVULGAÇÃO


    Por: ELLEN GENARO




    Imprimir